domingo, 27 de janeiro de 2008

O Sol


Ei, dor!

Eu não te escuto mais

Você não me leva a nada

Ei, medo!

Eu não te escuto mais

Você não me leva a nada...

E se quiser saber

Pra onde eu vou

Pra onde tenha Sol

É pra lá que eu vou...

(Jota Quest)

Segundo Cérebro

Limitar o papel do intestino à digestão seria reduzir consideravelmente a importância desse órgão.
Ele é dotado de um sistema nervoso constituído por 100 milhões de neurônios (tanto quanto a medula espinhal), que elaboram cerca de vinte neurotransmissores — entre os quais a serotonina, reguladora do humor, que influi nos distúrbios depressivos.
Os cientistas falam hoje do intestino como o "segundo cérebro" do corpo humano, capaz de enviar sinais ao cérebro.
O intestino ainda exerce outro papel.
Ele serve de barreira entre o exterior (o intestino recebe moléculas estranhas como os nutrientes) e o interior do organismo.
A integridade dessa barreira é essencial e uma flora intestinal equilibrada — que estimula a secreção de muco e produz substâncias capazes de modificar sua permeabilidade — melhora esse efeito barreira.
O terceiro papel do intestino é sua função imunológica.
Em termos de células (por exemplo, de linfócitos), o sistema imunológico do intestino é o mais importante do organismo e produz certas substâncias que regulam as reações imunológicas.
A flora intestinal, responsável pelo bom funcionamento do intestino, tem um lugar privilegiado na conservação da saúde.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008


"Dizem que a vida é curta,

mas não é verdade.

A vida é longa

para quem consegue viver

pequenas felicidades."

(Dalai Lama)

Pequeno Dicionário das Relações Amorosas II

Lágrima: 1. saudade na forma líquida; 2. mistura de água do mar com alma moída; 3. secreção aquosa expelida através dos canais lacrimais quando se espreme o coração; 4. felicidade que escorre pela face; 5. estrela cadente que despenca do céu dos olhos de quem ama; 6. motivo da existência de lenços brancos; 7. resultado da fusão de sentimentos contraditórios quando submetidos a altas temperaturas; 8. nome comumente dado ao fim de um romance; 9. momento que antecede o adeus; 10. pedaço de ontem; 11. antônimo de desprezo; 12. matéria-prima das jujubas; 13. grande inspiração dos poetas; 14. fado de Amália Rodrigues; 15. na Europa, folha que cai da árvore quando chega o outono; 16. na infância, associada ao berro, alarme de fome; 17. na velhice, fome de colo; 18. névoa úmida que cobre o mundo quando chove dentro da gente.
(André)
Terceira à esquerda.
Segunda à direita.
Segue em frente.
Passa pelo orelhão.
Quando vir um sorriso à sua direita, você dobra.
Quatro quarteirões.
Olha pra cima.
Se tiver uma nuvem, você espera ela passar.
Se não tiver, entra depressa.
Uma porta branca. Estreita, tem de se esforçar um pouco.
Aí, só subir a escada.
Mil, novecentos e vinte e sete degraus.
Aí chega no trampolim.
Abra os braços, pra se equilibrar bem,
que um tombo agora pode ser fatal!
Lá embaixo, uma piscina.
Vermelha. Vermelha porquê? Ué, porque sim, ora!
A água é quentinha, vai gostar.
Mais divertido se pular de cabeça.
Respira fundo antes, que leva um tempo pra você voltar à tona!
Mas volta.
Aí, umas braçadas. É preciso fôlego...
Vai nadar aí por um bom tempo.
Mas é gostoso, a água quentinha não te deixa ficar dolorido. Não, não tem fundo, não dá pra descansar.
Faz o seguinte: de vez em quando você bóia.
Põe a barriga pra cima e bóia.
Igual criança. Se o céu estiver escuro, pode ir se preparando.
Vai precisar ter força. Mas passa.
Não dá pra se afogar, só assusta um pouco.
Continua nadando. Só duas possibilidades de chegada: abismo ou praia.
Se chegar na praia, melhor. É um lugar bonito. Relaxante.
Tomara que seja.
Se for abismo, vai doer. Mas passa.
Dependendo do peso da sua alma, você vai cair por alguns minutos,
algumas horas. Tem gente que cai por anos.
Dizem por aí que tem gente que nunca mais pára de cair.
Mas é lenda.
É, não chega a ser perigoso, assim, perigooooooooso... Mas assusta.
Tá, é perigoso, sim...
Mas e o que não é?
Depois?
Ah, sei lá...
Você vai decidir.
O que eu sei é que você vai ter vontade de começar tudo de novo.
Vai, segue em frente.
Sem medo.
Bota um sorriso na cara e vai.
Anda! Vai!
Boa sorte.
Qualquer coisa, liga.
Tchau.
postado por: ANDRÉ GONÇALVES

Relógio

O tempo deveria mesmo é ser menos egoísta
e deixar de pensar só em si mesmo.
porque tem horas que ele tem certeza que é o coelho de alice
e, em outras, o danado cisma que é caymmi.

Procuraram, procuraram, procuraram... Por toda parte... Por muitos dias... Debaixo da cama. No armário. Na geladeira. Na lixeira do banheiro. Arrancaram a pia da cozinha e procuraram na tubulação. Nas gavetas. Na despensa. Entre as facas. Na caixa de fotografias antigas. Entre as roupas. Na gaveta de cuecas. No meio dos sapatos. Nos bolsos das calças. Dentro dos livros de receitas. Nas cartas. Na pasta de contas. No elevador. Na garagem. No porta-luvas. Debaixo do carro. No porta-malas. Nas ruas do bairro. Colocaram anúncio de procura-se no jornal. Deu notícia na tv. Nenhum sinal. Nada. Única pista, dada pelo zelador do prédio onde moravam:

- Seu Zé, o senhor viu um amor perdido por aí?

- Como ele era, dona Melissa?

- Bonito, perfumado e vestido de azul...

- Vi, sim, dona Melissa...

Vi quando saiu do elevador, chorando,

entrou correndo num taxi e foi simbora, pro rumo da Lagoa.

(André)

Pequeno Dicionário das Relações Amorosas

Filho(a): 1. raspas de coração 2. felicidade que suja fraldas; 3. tubo extremamente barulhento em uma extremidade e absolutamente irresponsável em outra; 4. paz banguela; 5. big-bang dentro do peito; 6.motivo da existência de calendários; 7. principal causa da acrofobia; 8. material orgânico usado para derreter granito; 9.ausência de bolinhas amarelas; 10. sinônimo de amanhã; 11. nome dado à barriga de espécimes femininos em estado interessante; 12. indivíduo devorador de bolotas vermelhas doces presas a palitos; 13. animaizinhos que nunca crescem; 14. antônimo de suicídio; 15. abobalhador de adultos; 16. ser gerado originalmente em laboratório por fábricas de filmes fotográficos; 17. o outro nome da insônia; 18. efeito colateral do amor; 19. comprovação científica da existência de Deus.
ANDRÉ GONÇALVES

Mini Conto

Era uma vez duas certezas que se encontraram,
se olharam, se gostaram, se apaixonaram, se amaram,
fizeram amor, casaram, sorriram, fizeram amor de novo,
se olharam de novo e, quando viram, tinham parido uma lágrima.
E lágrimas paridas assim, sem nenhum planejamento,
crescem e se transformam em magras e desdentadas dores,
sempre jogadas pelos cantos e comendo mingau para aliviar a úlcera.
(André)
Um dia, foi brutal e estupidamente atropelado por um sorriso.
Atropelamentos desse tipo causam dor em quem os assiste.
E, segundo as leis da física, dependendo da velocidade da aceleração no deslocamento do bólido, dependendo da cor do batom que o envolve e do ângulo em que ocorre o impacto, jogam a alma do atropelado um pouco acima da rota dos aviões comerciais.
Santas nuvens pula-pulas de cetim.
Sem elas, seríamos um mar de atropelados, sangrando pelos poros e lacrimejando dentro do peito.
Mas, então, um dia foi estúpida e brutalmente atropelado por um sorriso,
e foi arremessado para o muito, muito, muito alto.
E, graças a Ele, desabou num pula-pula de cetim.
A turba (sempre as turbas...), enlouquecida, pedia que pulasse.
Surpresa: lá, de cima de tudo, levantou as mãos,
mostrando ao mundo o sorriso
que lhe sorria como nunca se havia visto antes
um sorriso sorrir.
E, abraçados, ele e o sorriso,
pegaram carona nas asas de um anjo, que vestia luz.
Para onde?
E por acaso alguém lá pode saber para onde vão sorrisos,
fadas e gentes que amam?
Ele estava chegando.
Ela meteu a mão na bolsa, remexeu, remexeu,
e só então percebeu que tinha esquecido os sorrisos em casa.
Ele abriu a porta.
Ela chamou o garçom e perguntou se havia sorrisos no cardápio.
Estavam em falta.
Ele chegou e sorriu.
Ela não.
Ele sorriu outra vez.
Ela disfarçou.
Ele percebeu.
Ela se desculpou.
Ele entendeu.
Ela chorou.
Ele tomou a mão dela em suas mãos.
Ela corou.
Ele beijou cada um dos dedos dela.
Ela umedeceu.
Ele chamou o garçom e pediu a conta.
Ela foi ao banheiro retocar a maquiagem.
Ele pagou.
Ela pediu à moça loira que sorria um sorriso emprestado.
Ele esperou.
Ela agradeceu à moça loira que sorria pelo empréstimo do sorriso.
Ele se surpreendeu.
Ela sorriu.
Ele chorou.
Ela nunca mais precisou pedir nem comprar sorrisos.
Ele os dava a ela,
embalados em grandes caixas douradas com laços de fita.

O azar como o avesso da sorte diz que sim

O mesmo como simples acaso da vida também

Creio que a escolha é sua saber se em verdade

Sou eu o acaso da minha existência

Ou a falta de sorte da consciência

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008


E depois de muito tempo descobrimos

que o que realmente importa

é uma mão para segurar

e um coração para entender.

(William Shakespeare)

Aflições


Os Olhos q tudo vêem;

Os Ouvidos q tudo ouvem;

A Mente q tudo pensa;

A boca q nada fala...

Ímpar

Que não tem igual;
sem par.
Não divisível por dois.

VIVE PLENAMENTE

Ama sem medo e com intensidade
despreza o risco da insinceridade
e vive plenamente cada dia..
Que a vida é toda ela um
chamamento
um impulso à ação e ao sentimento
e um convite ao amor e a alegria.
Toma a fé e a coragem por bandeiras
pra caminhares e transpor barreiras
com o pensamento ao alto e à eternidade.
E onde estiveres lança, docemente...
Uma palavra, um gesto, uma semente
De paz, de luz e de fraternidade.
(João Pereira Maurício)
Aquele que não sabe e pensa que sabe, é um tolo: FUJA DELE.
Aquele que sabe e pensa que não sabe, está dormindo: ACORDE-O.
Aquele que não sabe e sabe que não sabe, é humilde: GUIE-O.
Aquele que sabe e sabe que sabe, é um mestre: SIGA-O.
( provérbio chinês )

"Os seres humanos são dotados de uma natureza

tal que não deveriam apenas possuir bens materiais,

mas deveriam antes possuir sustento espiritual.

Sem o sustento espiritual,

torna-se difícil adquirir e manter a paz de espírito."

(O Dalai Lama)
•.¸¸.•*☆*•.¸¸.•*☆*•.¸¸.•*☆*•.¸¸.•*☆*•.¸¸.•*☆*•.¸¸.•*
Pouco não me serve,
médio não me satisfaz,
metades nunca foram meu forte.
Todos os grandes e pequenos momentos feitos com amor e com carinho são pra mim quase que recordações eternas, sorrisos e abraços espontâneos, me emocionam.
Palavras até me conquistam temporariamente,
mas atitudes me ganham pra sempre."
Ser fiel não é uma obrigação, mas sim uma atitude recíproca de pessoas que se amam,
que se respeitam e sobretudo, que dão valor aos verdadeiros sentimentos e não os confundem com aventuras.
E a fidelidade deve ser usada em tudo na vida;
ser fiel aos amigos,
com a família,
aos seus princípios
sem passar por cima das pessoas.
Ele independe de sua orientação sexual, cultura e classe social;
e fidelidade está na mente e coração,
naquilo que você é, no seu caráter.
•.¸¸.•*☆*•.¸¸.•*☆*•.¸¸.•*☆*•.¸¸.•*☆*•.¸¸.•*☆*•.¸¸.•*

E havia uma gramática que dizia assim:

"Substantivo (concreto) é tudo quanto indica pessoa, animal ou coisa:
João, sabiá, caneta".
Eu gosto das coisas.
As coisas sim !...
As pessoas atrapalham. Estão em toda parte. Multiplicam-se em excesso.
As coisas são quietas.
Bastam-se. Não se metem com ninguém.
Uma pedra.
Um armário,
um ovo, nem sempre, ovo pode estar choco: é inquietante...
As coisas vivem metidas com as suas coisas.
E não exigem nada. Apenas que não as tirem do lugar onde estão.
E João pode neste mesmo instante vir bater à nossa porta. Para quê?
Não importa: João vem!
E há de estar triste ou alegre, reticente ou falastrão,
Amigo ou adverso...
João só será definitivo quando esticar a canela.
Morre, João... Mas o bom mesmo, são os adjetivos,
os puros adjetivos isentos de qualquer objeto.
Verde.
Macio, aspero, rente,escuro, luminoso, sonoro, lento.
Eu sonho com uma linguagem composta unicamente de adjetivos
como decerto é a linguagem das plantas e dos animais...ainda mais.
Eu sonho com um poema cujas palavras sumarentas
escorram como polpa de um fruto maduro em tua boca
um poema que te mate de amor
antes mesmo que tu saibas o misterioso sentido:
Basta provares o seu gosto... "
(Mario Quintana)

É tudo uma questão de manter a mente aberta,

a espinha ereta

e o coração tranquilo!!!!!


Ler da tua boca as palavras com a atenção do surdo.

Falar com os olhos e as mãos como fazem os mudos"

(Cazuza, 1978).

Eu sei...

eu sei que não era para eu ser assim.
eu sei que eu devia estar tomando as doses nas horas certas.
eu sei que eu devia estar dormindo boas noites de sono
e que eu devia fumar menos e escovar os dentes
com pasta para gengivas sensíveis
e beber menos
e amar menos
e esperar menos
e me jogar menos quando alguém me abre os braços
e falar menos,
eu sei que eu devia falar menos
e perambular menos na rua sozinha
depois que todo mundo já foi embora
e parar de falar sozinha enquanto chuto alguma coisa no chão
e parar de cantar aquela música também
parar, eu devia parar
e pensar menos
menos, menos, menos
menos.
mas eu não consigo.
eu já tentei
mas eu não sei viver
menos.
(clarah averbuck)
QUEM É DE VERDADE,SABE QUEM É DE MENTIRA!
♪ "Não brilhe apenas para que os outros vejam.
Mas para que eles,também sejam iluminados!" ♪
Vivo num espaço paralelo.
No meu mundo, entra quem eu quero.
Sai, quem eu deixo.
Leio coisas que não são letras.
Vejo muitas mudanças antes de acontecerem
e cultivo o hábito de me retirar daqui, vez em quando.
Mas eu volto.
Não levo sentimentos negros em meu coração....
eles aparecem sim, mas se vão rapidinho.
Não sou perfeita nem dona da verdade.
Não gosto de pessoas que se acham assim.
Sinto a aura das pessoas,
percebo toda uma vida em apenas um olhar....
procuro entender isso em minha vida.
Detesto mentiras.....
acredito no amor e na fidelidade como base de qualquer felicidade.
Seja no amor, trabalho ou amizade.
Muitas vezes me sinto distante de todos.
Longe e incapaz de ficar julgando sentimentos que não são meus.
Tenho mil defeitos e um milhão de qualidades,
depende qual o lado você quer ver.
Uma dica:
Olhe para os dois lados.
Sou assim,de grande percepção..
de outra estação.
Eu sou daqui e eu sou de longe.

Vai ter uma festa e eu vou dançar até o sapato pedir pra parar,

ai eu paro,tiro o sapato ,e danço o resto da vida.

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Às vezes me pego pensando
em tudo que não fizemos,
naquilo que não dissemos,
nos dedos que não se entrelaçaram,
nos olhares que não trocamos,
nos lábios que não se tocaram.
Penso nos sorrisos que se perderam,
no gesto que ficou na intenção,
no calor retido,
na expressão contida.
Penso nos sonhos onde nos encontramos
e que nunca foram contados,
nas fantasias vividas em segredo,
nos desejos silenciosamente saciados.
Penso nas tardes que não tivemos,
nos pores-do-sol que não assistimos,
nas manhãs que não acordamos juntos.
Penso, e de tanto que penso,
às vezes me esqueço
que te amo assim, ao avesso.

SABEDORIA ORIENTAL

Você nunca se decepciona com o outro.
Quando se decepciona, o faz consigo mesmo,
por não saber respeitar as possibilidades do outro.
Você sempre sabe o que esperar do outro;
é uma decisão sua esperar algo que ele não tem para lhe dar.
(Citado por Roberto Shinyashiki, no livro "A Carícia Essencial")
"Meu caminho é cada manhã,
não procure saber onde estou...
meu destino não é de ninguém,
eu não deixo meus passos no chão..."
(Capital)
quando começa a pensar?'
'vou mostrando como sou e vou sendo como posso.
e pela lei natural dos encontros,
eu deixo e recebo um tanto.'
A morte não é a maior perda da vida.
A maior perda da vida
é o que morre dentro de nós
enquanto vivemos.
'não quero o que a cabeça pensa...
quero o que a alma deseja...'

"Não vou mais falar de amor

De dor, de coração, de ilusão

Não vou mais falar de sol

Do mar, da rua, da lua ou da solidão

Meu vício agora é a madrugada

Um anjo, um tigre e um gavião

Que desenho acordada

Contra o fundo azul da televisão

Meu vício agora...

É o passar do tempo

Meu vício agora...

Movimento, é o vento, é voar...

é voar

Não vou mais verter

Lágrimas baratas sem nenhum porque

Não vou mais vender

Melôs manjadas de Karaokê

E mesmo assim fica interessante

Não ser o avesso do que eu era antes

De agora em diante ficarei assim...

Desedificante"
"As pessoas não estão neste mundo para satisfazer nossas expectativas,
assim como não estamos aqui para satisfazer as delas...
Temos que nos bastar.
Nos bastar sempre e, quando procurarmos estar com alguém,
fazer isso ciente de que estamos juntos porque gostamos,
porque queremos e nos sentimos bem,
nunca por precisar de alguém...
As pessoas não se precisam.
Elas simplesmente se completam,
e não por serem metades,
mas por serem pessoas inteiras
e estarem dispostas a dividir sonhos, somar alegrias e doar Vida..."

domingo, 20 de janeiro de 2008

"conheça todas as teorias
domine todas as técnicas
mas quando tocares a alma humana
seja apenas outra alma humana"
c.g. jung
Só se pode viver perto de outro,
e conhecer outra pessoa,
sem perigo de ódio,
se a gente tem amor...
(Guimarães Rosa)

O destino é um dos escritores mais espetaculares.

Suas histórias são as mais fascinantes,

pois começam antes mesmo de os personagens

darem conta que fazem parte dela.

O desfecho é sempre interessante e instigante.


Que o destino continue sua obra...
"Hoje eu quero a rua cheia de sorrisos francos
De rostos serenos de palavras soltas
Eu quero a rua toda parecendo louca com gente gritando
E se abraçando aos sol
Hoje eu quero ver a bola da criança livre
Quero ver os sonhos todos nas janelas
Quero ver vocês andando por aí
Hoje eu vou pedir desculpas pelo que eu não disse
Eu até desculpo o que você falou
Eu quero ver meu coração no seu sorriso
E no olho da tarde a primeira luz
Hoje eu quero que os boêmios gritem bem mais alto
Eu quero um carnaval no engarrafamento
E que dez mil estrelas vão riscando o céu buscando a sua casa no amanhecer Hoje eu vou fazer barulho pela madrugada
Rasgar a noite escura como um lampião
Eu vou fazer seresta na sua calçada
Eu vou fazer misérias no seu coração
Hoje eu quero que os poetas dancem pela rua
Pra escrever a música sem pretensão
Eu quero que as buzinas toquem flauta doce
Que triunfe a força da imaginação."
(Oswaldo Montenegro)
Péssima cozinheira e excelente costureira.
Faladeira e bagunceira.
Não sei nadar e nem sei a tabuada do sete,
o que não me impede de ter mais de três dúzias de bons amigos.
Areia e mar compõem meu cenário preferido,
arroz com feijão meu banquete,
banho quente minha apoteose e unha pintada minha mania.
Tenho o péssimo hábito de acreditar nas pessoas
e de emprestar minhas coisas e não pedi-las de volta.
Rio prazerosamente das minhas desgraças cotidianas
e não contente conto pra todo mundo.
Eu levo muitos tombos, físicos e morais.
Levanto de todos, sacudo a poeira e dou a volta por cima
cantarolando o grande Nelson Ned: mas tudo passa, tudo passará.
Sou uma profissional realizada e não saberia ser outra coisa na vida além de jornalista.
Letras, palavras e frases acompanhadas de um bom whisky me bastam.
Controle Remoto, ponto de massa de bolo, exercícios físicos e meu cabelo fazem parte dos maiores desafios da minha vida.
Vida simples, mas animada.
Quando eu era criança achava que a maior aventura que existia era dar uma volta na quadra sozinha, hoje quero dar a volta ao mundo.
Ainda não embarquei rumo ao giro no planeta, mas já andei por aí, conhecendo gente, comida, sotaque, sons.
Nunca fui muito longe, porque não posso me dar por vencida.
Milhares de Kms não me convencem. Quero ir além...
Eu? Eu sou o avesso, do avesso, do avesso.

Anturios


Fui levar Júlia na casa de uma amiga
e no caminho vi, em uma varanda, um vaso com antúrios.
Voltei no tempo...

Sobre os antúrios:
A flor do antúrio, na verdade, é bem pequena,
alcançando o tamanho da cabeça de um alfinete.
A parte colorida e exótica, que normalmente achamos que é a flor,
na verdade é uma inflorescência.
As verdadeiras flores do antúrio
são os pontinhos amarelos que brotam na espiga.
Esta peculiaridade é um artifício da natureza:
quando as flores são pouco significativas,
a natureza produz folhas modificadas ou brácteas coloridas
para atrair insetos e outros agentes polinizadores.
Isso também ocorre com as flores do bico-de-papagaio
(Euphorbia pulcherrima)
e da primavera (Bougainvillea spectabilis).
Tive vontade de dizer muitas coisas à roubadora de livros, sobre a beleza e a brutalidade. Mas que poderia dizer-lhe sobre essas coisas que ela já não soubesse?
Tive vontade de lhe explicar que constantemente superestimo e subestimo a raça humana - que raras vezes simplesmente a estimo. Tive vontade de lhe perguntar como uma mesma coisa podia ser tão medonha e tão gloriosa, e ter palavras e histórias tão amaldiçoadas e tão brilhantes...
Tudo que pude fazer foi virar-me para Liesel Meminger e lhe dizer a única verdade que realmente sei. Eu disse à menina que roubava livros e digo a você agora...
Os seres humanos me assombram.
(A menina que roubava livros- pg 478 -Markus Zusak)
"O mundo está nas mãos
daqueles que tem coragem de sonhar
e correr o risco de viver seus sonhos"
Charles Chaplin
Sou uma pessoa feliz,
Amo muito a vida
E dela sou aprendiz;
Tenho várias paixões,
Mas, como qualquer um,
Possuo imperfeições;
Se os caminhos desta vida
Ainda não sei de cor,
Pelo menos busco,
A cada dia,
Tornar-me alguém melhor.

sábado, 19 de janeiro de 2008

Manchas


Não sou de esfregar manchas com vinagre e sal.

Ficar esbaforido com uma toalha tentando reparar o estrago ou estender o pano na pia como um alucinado procurando a aliança no ralo ou me banhar de talco como um bebê.

Minha memória é feita de manchas.

A que eu mais admirava era a do fundo do estojo do lápis de cor.

Não queria trocar a caixinha de madeira.

Iniciava o ano letivo e riscava o estojo da lista de material escolar.

Fazia beiço. O fundo tinha a graça do risco involuntário, emaranhado de cores que buscavam cada uma a sua maneira gritar mais alto.

A paleta resplandecia intensa, úmida, pintura na rocha.

O estojo fazia barulho com a tampa.

O barulho me acordava para a aula.

Outra mancha que me tranqüiliza é a do vinho na toalha da mesa.

Meu pai bebia um cálice e não havia jeito da toalha passar imune à borra na janta.

A mancha do vinho significava a hora de dormir.

O círculo vermelho no linho me anoitecia, um relógio de pano.

Sempre fui de me sujar, de me espalhar, de pular cercas de arame farpado e muros.

Raramente voltava para casa com os joelhos lisos.

Respondia ao apelo do chão e curava as varizes das árvores.

Subia descalço para não escorregar. Que delícia farejar as pontas dos troncos com os pés.

Preparei minha tez com a rapidez do mato.

Roubava frutas usando a camisa como cesta, que terminava pigmentada de ameixas, bergamotas e amoras.

Fazia estampas sem querer.

Chegou um momento em que a mãe desistiu de limpar e aceitou a volúpia da imaginação das frutas, do suor das frutas, do suco silvestre.

Limitou-se a avisar que não tinha conserto.

As manchas me davam a nobreza de ter vivido e me arriscado.

Não mudo o que de ruim aconteceu em minha vida. Não adapto a história de acordo com as intenções.

Mudo de idéia, mas não de passado.

Não sou de me remoer em resignações.

Já escutei muito de amigos: "se eu pudesse apagar o que eu fiz?"

Se apagasse o que não concordo, o que colocaria no lugar?

Eu seria mais espaço à venda do que habitado.

Arrepender-se do que foi feito não é apagar, mas aceitar a contradição, a oposição, a experiência negativa dentro da gente.

Admitir que o divórcio, a separação, o fim do namoro ajudam nas novas relações. Não há culpa onde houve vontade de acertar.

Se errei, é que o erro também precisava de mim.

Não conheço alegria que não deixa sinais.

As manchas indicam que exagerei para o bem e para o mal.

Todo excesso é amor.

Não sou de esfregar o passado na cara do outro.

As manchas são minhas, intransferíveis, e o vinagre não combina com a pele.(Fabrício Carpinejar)
Meu pai um dia me falou
Pra que eu nunca mentisse
Mas ele também se esqueceu
De me dizer a verdade
Da realidade do mundo
Que eu ia saber
Dos traumas que a gente só sente
Depois de crescer
Falou dos anjos que eu conheci
No delírio da febre que ardia
No meu pequeno corpo que sofria
Sem nada entender
Meu pai tentou encher de fantasia
E enfeitar as coisas que eu via
Mas aqueles anjos agora já se foram
Depois que eu cresci
Da minha infância agora tão distante
Aqueles anjos no tempo eu perdi
Meu pai sentia o que eu sinto agora
Depois que cresci
Agora eu sei o que meu pai
Queria me esconder
Às vezes as mentiras
Também ajudam a viver
Talvez um dia pro meu filho
Eu também tenha que mentir
Pra enfeitar os caminhos
Que ele um dia vai seguir

O.R.A.Ç.Ã.O


Que os meus dias sejam mais claros e minha noites mais belas...

Que a minha vida seja cada vez mais jovem e minha mente mais amadurecida...

Que o amor que eu sinto seja mais forte e meu coração mais sereno...

Que cada momento seja eterno e cada piscar seja uma luz a me iluminar...
"Quem não é um acaso na vida?"
CLaRiCe LiSPeCToR

E assim eu te convido a entrar no acaso que é o meu mundo
Nas possibilidades que ele apresenta
Nos encontros que ele promove
Nas sensações que ele desperta
Bem vindo ... e que nos encontremos !
Seja você mesmo, mas não seja sempre o mesmo
(Gabriel, o Pensador)

"Sonho que se sonha só é só um sonho que se sonha só.

Mas sonho que se sonha junto é realidade"

Raul Seixas
"O homem que diz "dou" não dá
Porque quem dá mesmo não diz
O homem que diz "vou" não vai
Porque quando foi já não quis
O homem que diz "sou" não é
Porque quem é mesmo é "não sou"
O homem que diz "estou" não está
Porque ninguém está quando quer"
(Vininha e Toco)
Entre as coisas mais lindas que eu conheci
Só reconheci suas cores belas quando eu te vi
Entre as coisas bem-vindas que já recebi
Eu reconheci minhas cores nela
e então eu me vi
Está em cima com o céu e o luar
Hora dos dias, semanas, meses, anos, décadas
E séculos, milênios que vão passar
Água-marinha põe estrelas no mar
Praias, baías, braços, cabos, mares, golfos
E penínsulas e oceanos que não vão secar
E as coisas lindas são mais lindas
Quando você está
Onde você está
Hoje você está
Nas coisas tão mais lindas
Porque você estáOnde você está
Hoje você está
Nas coisas tão mais lindas

"O sândalo perfuma o machado que o feriu"

"Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade,
Tudo está perdido mas existem possibilidades.
Tínhamos a idéia, você mudou os planos
Tínhamos um plano, você mudou de idéia
Já passou, já passou - quem sabe outro dia"
(Renato Russo)

"Movimento – ciclos – natureza real do mundo"


O equilíbrio está entre os altos e baixos,
o igual está no seu oposto,
a junção de algo acontece por ter o seu oposto.
O funcionamento energético acontece
no seu movimento do positivo e do negativo.
A psique humana se movimenta entre a emoção e a razão.
O movimento é a transição entre os iguais p/ os seus opostos.
É igual, pois é feito pelo mesmo principio,
da mesma origem,é diferente, pois cada um complementa o outro.
Assim como a natureza se move em um ciclo,
a vida segue nos seus altos e baixos,
nos seus iguais e opostos,
nas coisas que preenche o vazio e que deixa vazio o que está completo.
O movimento não está no tempo em si,
mas na natureza real do mundo.
"Sis animus llustraret Viam"Fernando K. N
Uma idéia bonita
Uma roubava livros
O outro roubava o céu
("A Menina que roubava livros" ,pg 333 - Markus Zusak)
'O que for a profundeza do teu ser,
assim será teu desejo.
O que for teu desejo,
assim será tua vontade.
O que for a tua vontade,
assim serão teus atos.
O que forem teus atos,
assim será teu destino.
'Brihadaranyaka Upanishad IV
" qualquer amor ja é um pouquinho de saúde,
um descanso na loucura"...
Guimaraes Rosa
"Há três tipos de pessoas que têm sorte na vida:
as que sabem Amar;
as que sabem declarar o Amor
e as que conseguem conviver com esse Amor”.
(by Manny)

''Mude suas opiniões,

sustente seus princípios;

troque suas folhas.

Mantenha intacta suas raízes.''

Vitor Hugo

Dureza

Um dia de cada vez...

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Contagem regressiva

Começamos a produção de sacolés para o carnaval.
Manga e Maracujá foram os primeiros.
Mangas da casa da Milena e maracujás todos meus por direito.
Amanhã:
Coco, do meu jardim.
Fiz uma sobremesa das antigas hoje...
Pudim de maria mole.

domingo, 13 de janeiro de 2008

Olho no olho


Enquanto o método de Bernard Jensen nos possibilita analisar a íris do ponto de vista orgânico, o método Rayid, desenvolvido por Denny Johnson, nos possibilita entendermos as complexidades da mente humana que molda e dá forma às nossas personalidades e relacionamentos.

Com ele pode-se conhecer os tipos psíquicos, bem como introversão e extroversão, além da predominância cerebral.

O método Rayid reconhece 4 padrões, sendo 3 padrões básicos: Flor, Jóia e Corrente e um quarto padrão chamado de Agitador, que é uma combinação dos padrões Flor e Jóia.

As pessoas que apresentam muitas fibras abertas na íris, que chamamos de pétalas, estão no padrão Flor.

São emocionais, expontâneas, observadoras, fazem muitos gestos e aprendem ouvindo. São criativas. Geralmente tem habilidades para música, artes, etc...

Identificamos o padrão Jóia como sendo uma pigmentação na íris. É como se tivesse caído um pingo de tinta sobre a íris. Uma mancha marron. Esse padrão indica uma pessoa intelectual, com muito talento para a análise e diálogo verbal, pouca flexibilidade para mudanças.

Identificamos um padrão Corrente quando a íris tem suas fibras penteadinhas, com poucos sinais.A palavra que melhor descreve o Corrente é sensibilidade - sensibilidade física, menta e intuitiva. Ela é como um imã para tudo que funciona a sua volta. Imagine um Corrente com milhares de bigodes de gato tateando em todas as direções. A menor mudança ou incidente é imediatamente sentida por ele, que é sempre "tocado" por tudo, devido à combinação da sensibilidade das naturezas Flor e Jóia. O corrente é um radar ambulante da vida.

Já o tipo Agitador é identificado por possuir uma combinação dos sinais dos padrões Flor e Jóia. São extremistas. O padrão clássico do Agitador é o grande sucesso e o grande fracasso. A dedicação e a lealdade são as suas marcas. Em geral são inventores, exploradores ou motivadores. Eles são entusiastas.

Iridologia

É uma ciência que tem como objetivo o estudo da íris e sua relação com as alterações que ocorrem com o nosso organismo, sejam elas orgânicas, metabólicas, nutricionais, nervosas, hormonais, assim como as influências psíquicas e emocionais.
Isso é possível através da observação das estruturas das fibras e da pigmentação da íris, isto é, sua cor.
Todas as partes do nosso organismo estão representadas na íris que é a parte colorida dos nossos olhos.
O estudo pode revelar muito sobre a nossa saúde, bem como a carga genética que recebemos.
É importante ressaltar que a Iridologia não é terapia e sim uma ferramenta de pré-diagnose.
A íris é formada por fibras e esse é o primeiro elemento que observamos pois elas nos indicam o tipo de constituição da pessoa.
A íris representa todas as partes do organismo em sua topografia.
Isso é possível graças ao Sistema Nervoso Autônomo, formado por duas cadeias nervosas: o simpático e o parassimpático. Eles enervam todas as partes do organismo e levam até o cérebro impulsos sobra a situação da cada região (Sistema Nervoso Central) e até a íris, onde essas impressões ficam registradas.
Bernard Jensen (americano) desenvolveu um mapa de iridologia onde nele está indicada a posição relativa de cada órgão representado na íris.
A íris direita representa os órgãos que estão localizados do lado direito do corpo e a íris esquerda os que estão localizados do lado esquerdo.
Por exemplo: o fígado está representado na íris direita, o baço na íris esquerda. Já a tireóide está representada nas duas íris.

sábado, 12 de janeiro de 2008

João e Maria

Agora eu era o herói
E o meu cavalo só falava inglês
A noiva do cowboy era você além das outras três
Eu enfrentava os batalhões, os alemães e seus canhões
Guardava o meu bodoque e ensaiava o rock para as matinês
Agora eu era o rei
Era o bedel e era também juiz
E pela minha lei a gente era obrigado a ser feliz
E você era a princesa que eu fiz coroar
E era tão linda de se admirar
Que andava nua pelo meu país
Não, não fuja não
Finja que agora eu era o seu brinquedo
Eu era o seu pião, o seu bicho preferido
Sim, me dê a mão, a gente agora já não tinha medo
No tempo da maldade acho que a gente nem era nascido
Agora era fatal que o faz-de-conta terminasse assim
Pra lá deste quintal era uma noite que não tem mais fim
Pois você sumiu no mundo sem me avisar
E agora eu era um louco a perguntar
O que é que a vida vai fazer de mim?
Chico Buarque

Dizem os budistas que a vida é um rio, que navegamos numa balsa em direcção ao nosso destino final. O rio tem a sua corrente, a sua velocidade, os seus escolhos e remoinhos, e ainda outros obstáculos que não podemos controlar, mas temos um remo para dirigir a embarcação sobre as águas. É da nossa destreza que depende a qualidade da viagem, mas não podemos mudar o percurso, que termina sempre na morte. Às vezes, não temos outro remédio senão abandonar-nos à corrente. Respirei fundo , estiquei a minha exigua estatura e dei uma palmada no ombro do meu marido.-Endireita-te, Willie. Temos de remar.

Isabel Allende - A Soma dos Dias
Os olhos...
Bem, só posso dizer que as estrelas cabiam todas lá...

DITO PELO NÃO DITO


Certos silêncios costumam ser mais poéticos que palavras....talvez pela liberdade expressa no verbo calar. Não são servis aos conluios de letras. As vezes, a quietude também acalenta lágrimas, que generosamente banham as amígdalas áridas dos que não sabem dizer.......Quero bordar meu tempo assim feito vó, no tecer de um cachecol. E a certa altura desta lida pode ser preciso transformar o berro em suspiro, para não perder o ponto ......Queria dizer algo mais bonito no Dia do Poeta (19 de outubro)..........homenagem à Vinícius de Moraes.....que escreveu”Amo-te como um bicho, simplesmente/ De um amor sem mistério e sem virtude/ Com um desejo maciço e permanente....”trecho do Soneto do Amor Total....é assim que eu amo a poesia ...........“Mas se hoje me falta beleza na rima no verso ou na bossa.....me refugio num versinho de um dos meus primeiros pretensos poemetos (Viva o Verso)...” Palavras são damas caprichosas/Têm suas vontades/Dançam sozinhas/Desprezam ajudantes”.......Só me resta parabenizar e amar os que floresceram nesta existência em palavras eternas...........Viva Clarice Lispector!!!! – “Sentia o mundo palpitar docemente em seu peito, doía-lhe o corpo, como se nele suportasse a feminilidade de todas as mulheres”...(Aprendendo a Viver)Viva Fernado Pessoa!!!!! – “Pensar é estar doente dos olhos”(Quando fui Outro)Viva Mônica Montone!!!!!- “Há sementes em meu ventre/ São poemas que ainda não reguei..... (Mulher de Minutos)
E viva todos os poemas e poetas que amo e não caberiam no limite deste post............shiva, Cauã Montone Santos, Manoel de Barros, Mário Quintana, Adélia Prado, Cora Coralina, Afonso Romano Santana, Claufe Rodrigues, Ferreira Gular e tantos outros como aquele mineiro que me fez chorar e agora nega seu nome à minha lembrança...é para ser assim mesmo...poesia é do mundo...do vento...do tempo.....dos deuses.....

Outra Estação

sou mais eu
do que qualquer alguém seria
somarei as partes
que contigo eu dividia
se a primavera te parece abril
é pura distração
o mundo foi e só você não viu
pra outra estação
como uma lua
as fases são só aparência
o que os olhos não vêem nem sempre é ausência
brilho sim isso é meusei de mim
bem mais que quando o que era nosso floriu
já sorri
e isso é bom
dá o tom
do sol que acendeu
que em mim dormiu
(Kátia B)
Não me sinto bem nesse lugar.
Viver como parte da lotação máxima de um espaço minúsculo não permite o crescimento das minhas flores azuis e lilás.
Perdi minha mala em algum espaço cheio de pernas e pés calçados.
Nada posso guardar nesse lugar, que satisfaça a minha vaidade ou meu mau gosto por bebidas destiladas e pessoas perfumadas.
Ontem eu tive sede e ninguém estava atento o suficiente para me oferecer um pouco de saliva.
A casa está cheia de fantasmas do passado ocupando espaços velhos e novos.
Se eu pedir um pão molhado, ninguém serve, mesmo em troca de trocados. Abra logo a porta dos fundos, antes que eu quebre as paredes ou aprenda a falar somente com meus botões.
O meu pulmão cansou de tomar ar em corpos mal-cheirosos.
Meu coração odeia passar à noite no freezer.
Minha sede, pedi suco de caqui com você aqui.
Preciso de espaço para trocar meus sapatos, cultivar minhas flores e poder deitar num certo colo quente - sem mau hálito para garantir os meus piores modos.
(Ale – Namaste)

Das linhas de expressão do seu rosto
surgiam jardins bem cuidados
e pequenas estrelas vestidas de cores fulminantes.
A cada sorriso uma paz acolhedora
e a vontade de tornar a ir ou vir freneticamente.
Seus cílios, vassouras da alma,
promoviam limpezas a cada toque.
O olhar de descoberta era porta
para um labirinto de sensações de prazer.
O tom da sua voz, entre ervas aromáticas e tambores,
permitia compassos novos no meu velho e estranho coração.
Sua face, ondas de infinitas possibilidades,
levada pela maré do meu desejo.

Não ame a cor dos olhos
Ame o olhar.
Não ame a brancura dos dentes
Ame o sorriso.
Não ame o contorno dos lábio
Ame o beijo.
Não ame o formato dos braços
Ame os abraços.
Não ame a curva das pernas
Ame o andar.
Não ame o volume dos seios
Ame o aconchego.
E que bom não seja isto uma escultura
Seja apenas um poema à toa.
Porque melhor que amar um corpo
É amar uma pessoa.
(Pensamentos Ocultos)
Você não sente nem vê,
mas não posso deixar de dizer, meu amigo,
Que uma nova mudança em breve vai acontecer
e o que há algum
tempo era jovem e novo,
hoje é antigo e precisamos todos rejuvenescer.
(Belchior)

Que força nos une?

O perto é incerto
o longe é quase perto
e o perto é um parto pra acontecer
O que é pra ser
ás vezes está distante
mas o longe
não é só um porta-retrato na estante.
Greta Betinez