terça-feira, 31 de março de 2009


Deixa tudo que eu não disse,

mas você sabia
Deixa o que você calou

e eu tanto precisava
Deixa o que era inexistente,

mas eu pensei que havia
(Oswaldo Montenegro)

Ostra feliz não faz pérolas



A ostra, para fazer uma pérola,

precisa ter dentro de si um grão de areia

que a faça sofrer.

Sofrendo, a ostra diz para se mesma:

“preciso envolver essa areia pontuada

que me machuca com uma esfera lisa que lhe tire pontas…”

ostras felizes não fazem pérolas…

Pessoas felizes não sentem a necessidade de criar.

O ato criador seja na ciência ou na arte,

surge sempre de uma dor.

Não é preciso que seja uma dor doída…

Por vezes a dor aparece como aquela que tem o nome de curiosidade.

Este livro está cheio de areias pontuadas que me machucaram.

Para me livrar da dor, escrevi”
. 4ª capa do livro “Ostra Feliz Não faz Pérolas” de Rubens Alves .

(Blog Entre Aspas)

Suavidade é o caminho


O suave sempre supera o rígido.

O suave é vivo;

o rígido é morto.

O suave é como uma flor;

o rígido é como uma rocha.

O rígido parece poderoso,

mas é impotente;

o suave parece frágil,

mas é vivo.

Tudo o que é vivo sempre é frágil,

e quanto mais elevada a qualidade da vida,

mais frágil ela é.

Assim, quanto mais fundo você for,

mais suave se tornará,

ou quanto mais suave você se tornar,

mais fundo irá.

O âmago mais profundo

é absolutamente suave.

Este é todo o ensinamento de Lao Tzu,

o ensinamento de Tao:

seja suave, seja como a água

e não como a rocha.

domingo, 29 de março de 2009

"Se queres elevar-te,
exercita a arte de esquecer."
Nietzsche

Do lugar onde estou

já fui embora.

Manoel de Barros

quinta-feira, 26 de março de 2009


♪ naquela mesa ele sentava sempre

e me dizia sempre

o que é viver melhor naquela mesa

ele contava histórias

que hoje na memória eu guardo

e sei de cor

eu não sabia que doía tanto

uma mesa num canto,

uma casa e um jardim

naquela mesa ta faltando ele

e a saudade dele ta doendo em mim ♪
O melhor ainda não foi dito.
O melhor ainda estar por vir.
O melhor não está nas linhas.
Está nas entrelinhas.
(Blog: E agora, Maria?)



(...)
Como se visse alguém beber água


e descobrisse que tinha sede profunda e velha.


Talvez fosse apenas falta de vida:


estava vivendo menos do que podia


e imaginava que sua sede pedisse inundações.


Talvez apenas alguns goles (...).
Clarice Lispector in Perto do Coração Selvagem

Meu desejo é que aquela pureza,

brandura e amabilidade

volte a nascer dentro de nós,

como naquele dia,

na mais terna simplicidade.



“Almejas voar,


mas temes ficar tonto?”


(Goethe)

Sinto quase vontade de dizer tudo.

Sempre escrevi para me manter viva,

para não deixar-me acumular,

acumular e terminar por incontáveis letrinhas no chão

que explodiram por não mais caberem em si.

Há muito que não quero,

e não posso esquecer.

E há sempre o que precisa ser revelado.

Mas em seu tempo próprio,

em ritmo certo.

Eu mesma determino este ritmo e,

por ser parecido comigo,

é devagar e, mais que isso,

sem pressa.

Devagar por escolha,

por preferência.

No entanto, escolho algumas palavras

para comunicar-me com quem sente comigo,

com alguém que na busca por alguma coisa

passou por aqui e, tenha encontrado ou não,

permitiu-se desvairar sobre o amor,

este tema favorito.

E concordou ou discordou de minhas palavras,

mas me perdoou em ambos os casos.

Mas se pudesse contar-te um segredo

eu diria bem baixinho que você não está preparado, ainda.

É preciso mais tempo, mais cumplicidade, mais paz.

Um dia poderei contar que meu maior medo

é minha maior força.

Contarei que ainda não encontrei o abrigo e,

por isso, resguardo-me tanto.

Com aquela confiança de quem se entrega,

deixarei que sintas que quem está oferecendo cuidado

pede proteção.

Um dia aqui,

enquanto estivermos assentados lendo algum livro,

contando as descobertas desta vida inexplicável

ou distribuindo carinho gratuito,

como em um passe de mágica,

segurarei sua mão e estará explícito o sinal.

Então ainda baixinho contarei o tudo,

que sempre traz mais, e o nada,

que vai ser a distração.

Enquanto acredito que coincidências não existem,

acredite que seus passos, mãos, olhos e coração

não te levam nem te trazem por acaso.

Há em ti, como em mim,

esta procura por aquela palavra desconhecida,

aquele sentimento completo,

aquela busca que traga um sentido definitivo.

Não sei o que encontraste aqui

que possa ao menos ter refrescado a parada

enquanto segues tua caminhada,

mas creia que se não encontrou o que procuras

encontrou quem também não cessa sua busca;

e se não há em mim as respostas,

embora haja todas as perguntas,

poderemos trocar palavras e afetos,

e continuarmos, juntos ou não,

com um pouco de mais esperança e beleza.

Então, recebo sua visita com um sorriso

de qualquer tamanho e um abraço sempre.

Pode ficar perto,

deita comigo a observar as estrelas,

passeia de mãos dadas pelo jardim,

escreve um verso sem rima,

toma um banho de chuva

e não faz promessas.

Agora a gente procura junto.

(Blog Eu Maria - 09/02)

"A vida é um eco.

Se você não gosta do que está recebendo,

preste atenção no que está emitindo".
Você que inventou a tristeza
Ora tenha a fineza de desinventar
Chico Buarque


Repara que o outono é mais estação da alma

do que da natureza.
Drummond

terça-feira, 24 de março de 2009

Pelo retrovisor...


De perto...

Estou num projeto cultural com Jamil.
O livro infantil:
"De perto ninguém é igual".
Sobre uma joaninha sem pintas.

domingo, 22 de março de 2009

Papilas...cada um com seu gosto


Uma observação auditiva

mais longa e aguçada

e posso dizer ,

sem sombra de dúvida,

que a voz do Seu Jorge

soa igual a do Erasmo Carlos...

Meu signo chinês


PORCO (Hai)
Números: 1, 3, 4, 5, 8, 16, 18, 34, 41 e 48

Compatibilidades entre Signos

Maior: Coelho e Cabra

Media: Rato, Búfalo, Tigre, Cavalo e Cão

Pior: Serpente, Macaco e Porco.

O Porco é sincero, tolerante, amoroso, generoso,

honesto, boa companhia

e tem sempre tempo para ouvir

os problemas dos outros.

Fazem poucos inimigos,

mas podem ter um temperamento quente

e ficam doidos quando são enganados.

Os Porcos são amantes do campo e do jardim,

histórias de amor e tradição,

e são pensadores conservadores.

Gostam de se divertir,

mas também trabalham bastante.

Apreciam boa companhia,

mas não gostam de multidões.

Adoram as suas famílias,

e são práticos quando se trata da casa.

São asseados

e gostam de viver num ambiente limpo e arrumado.

São muito populares com o sexo oposto

e apaixonam-se facilmente.

São sensuais

e amam com paixão e intensidade.

Esforçam-se muito por agradar às pessoas de quem gostam.

O Porco é calmo e tolerante.

Dá-se bem com outras pessoas e outros ambientes.

A Profissão que se enquadra com o seu Signo

Investigador, Cientista, Químico, Técnico, Músico,

Assistente Social, Construtor, Chefe de Cozinha,

Gerente de Pessoal, Administrador, Funcionário Público.

Hora de nascimento: 19:20 h

(A hora de cálculo foi ajustada à hora local de Pequim (UTC+8))

A sua ascendência é: Cão (metal)

Seu elemento metal:

O Yin ou Yang é subdividido em Cinco Elementos

(Água, Madeira, Fogo, Metal (Ouro ou Ferro), Terra)

no topo do ciclo dos animais.

Estes são modificadores

e afetam as características de cada um dos 12 signos.

Os elementos são determinados de acordo com o signo lunar,

o ano, o mês e a hora de nascimento,

sendo que o elemento que predomina

na personalidade de uma pessoa é aquele que mais aparece

em seu mapa.
Detalhes do seu elemento:

Forte, muito alegre e afetuoso,

com bom senso e diplomacia necessários

para manter atitudes pacíficas
e resolutas nas situações mais difíceis,

gusto artistico.

Dotado de uma grande ambição e tenacidade,

não perde a coragem por causa das dificuldades.

Seu caráter é um pouco rígido e inflexível.

Valoriza a conquista de poder e dinheiro.

Possibilidades

Ontem assistindo à reprise do Saia Justa
fiquei pensando sobre um dos assuntos abordados:
a dificuldade que algumas culturas tem
em dar um NÃO como resposta.
Um simples não,
sem justificativas.
Essa dificuldade cria uma barreira
enorme.
Muitas vezes seria mais fácil
dizer NÃO
para que então as pessoas
busquem um sim
por outros caminhos...
um dia de salto 7,
outro de sandália havaiana.

Ninguém me ensinará os caminhos.

Ninguém nunca me ensinou caminho nenhum,

nem a você, suspeito.

Avanço às cegas.

Não há caminhos a serem ensinados,

nem aprendidos.

Na verdade,

não há caminhos.

E lembrei duns versos dum poeta peruano

(será Vallejo? não estou certo):

“Caminante, no hay camino.

Pero elcamino se hace ai andar”.(…)

Você não vai encontrar

caminho nenhum fora de você.

E você sabe disso.

O caminho é in, não off...

Castelos


...¨quando a gente precisa que alguém fique

a gente constrói qualquer coisa,

até um castelo.¨

"Vai passar,

tu sabes que vai passar.

Talvez não amanhã,

mas dentro de uma semana,

um mês ou dois, quem sabe?

O verão está aí,

haverá sol quase todos os dias,

e sempre resta essa coisa chamada 'impulso vital'.

Pois esse impulso ás vezes cruel,

porque não permite

que nenhuma dor insista por muito tempo,

te empurrará quem sabe para o sol,

para o mar,

para uma nova estrada qualquer e,

de repente, no meio de uma frase

ou de um movimento

te surpreenderás

pensando algo assim como

'estou contente outra vez'


Mas se eu tivesse ficado,

teria sido diferente?

Melhor interromper o processo em meio:

quando se conhece o fim,

quando se sabe que doerá muito mais

-por que ir em frente?

Não há sentido:

melhor escapar

deixando uma lembrança qualquer,

lenço esquecido numa gaveta,

camisa jogada na cadeira,

uma fotografia

–qualquer coisa

que depois de muito tempo

a gente possa olhar e sorrir,

mesmo sem saber por quê.

Melhor do que não sobrar nada,

e que esse nada seja áspero

como um tempo perdido.

(C.F.A)

...tem coisa mais auto destrutiva

do que insistir sem fé nenhuma?

Ah, passa devagar a tua mão na minha cabeça,

toca meu coração com teus dedos frios,

eu tive tanto amor um dia."

(C.F.A)

"Subi correndo no primeiro bonde,

sem esperar que parasse,

sem saber para onde ia.

Meu caminho,

pensei confuso,

meu caminho não cabe

nos trilhos de um bonde".

"... Não compreendo como querer o outro

possa tornar-se mais forte do que querer a si próprio.

Não compreendo como querer o outro

possa pintar como saída de nossa solidão fatal.

Mentira: compreendo, sim.

Mesmo consciente de que nasci sozinho

do útero de minha mãe,

berrando de pavor para o mundo insano,

e que embarcarei sozinho num caixão

rumo a sei lá o quê, além do pó.

O que ou quem cruzo esses dois portos gelados da solidão

é vera viagem: véu de maya, ilusão, passatempo.

E exigimos o eterno do perecível, loucos".

Algumas vezes

eu fiz muito mal para pessoas que me amaram.

Não é paranóia não.

É verdade.

Sou tão talvez neuroticamente individualista que,

quando acontece de alguém

parecer aos meus olhos

uma ameaça a essa individualidade,

fico imediatamente cheio de espinhos

- e corto relacionamentos com a maior frieza,

às vezes firo, sou agressivo e tal.

É preciso acabar com esse medo

de ser tocado lá no fundo.

Ou é preciso que alguém me toque profundamente

para acabar com isso

"...você cresceu em mim

de um jeito completamente insuspeitado,

assim como se você fosse apenas uma semente

e eu plantasse você

esperando ver uma plantinha qualquer,

pequena, rala, uma avenca,

talvez samambaia,

no máximo uma roseira,

é, não estou sendo agressivo não,

esperava de você apenas coisas assim,

avenca, samambaia, roseira,

mas nunca,

em nenhum momento

essa coisa enorme

que me obrigou a abrir todas as janelas,

e depois as portas,

e pouco a pouco

derrubar todas as paredes

e arrancar o telhado

para que você crescesse livremente"

Para uma avenca partindo em O Ovo Apunhalado Caio Fernando Abreu



"Te desejo uma fé enorme,


em qualquer coisa,


não importa o quê,


como aquela fé que a gente teve um dia,


me deseja também uma coisa bem bonita,


uma coisa qualquer maravilhosa,


que me faça acreditar em tudo de novo,


que nos faça acreditar em tudo outra vez."





"Frágil


– você tem tanta vontade de chorar,


tanta vontade de ir embora.


Para que o protejam,


para que sintam falta.


Tanta vontade de viajar para bem longe,


romper todos os laços,


sem deixar endereço.


Um dia mandará um cartão-postal


de algum lugar improvável.


Bali, Madagascar, Sumatra.


Escreverá:


penso em você.


Deve ser bonito,


mesmo melancólico,


alguém que se foi pensar em você


num lugar improvável como esse.


Você se comove com o que não acontece,


você sente frio e medo.


Parado atrás da vidraça,


olhando a chuva que,


aos poucos começa a passar."


Vou olhar os caminhos,
o que tiver mais coração, eu sigo.
(C.F.A)
...É preciso encher o vazio de palavras,
ainda que seja tudo incompreensão?
Só vou perguntar porque você se foi,
se sabia que haveria uma distância,
e que na distância a gente perde
ou esquece tudo aquilo que construiu junto.
E esquece sabendo que está esquecendo...
(Caio Fernando Abreu)

"E recomeçar é doloroso.

Faz-se necessário investigar novas verdades,

adequar novos valores e conceitos.

Não cabe reconstruir duas vezes a mesma vida

numa só existência.

É por isso que me esquivo e deslizo

por entre as chamas do pequeno fogo,

porque elas queimam

- e queimar também destrói."
"... essa aceitação ingênua
de quem não sabe que viver é,
constantemente, construir,
e não derrubar.
De quem não sabe
que esse prolongado construir implica erros
- e saber viver implica em não ver esses erros,
em suavizálos e distorce-los
ou mesmo eliminá-los
para que o restante da construção
não seja ameaçado."

'chegue bem perto de mim.

Me olhe ,

me toque,

me diga qualquer coisa.

ou não diga nada,

mas chegue mais perto.

Não seja idiota,

não deixe isso se perder,

virar poeira,

virar nada.'
"É preciso estar distraído
e não esperando absolutamente nada.
Não há nada a ser esperado.
Nem desesperado."
"Tão estranho carregar uma vida inteira no corpo,
e ninguém suspeitar dos traumas,
das quedas, dos medos, dos choros."
"Olha, eu sei que o barco tá furado
e sei que você também sabe,
mas queria te dizer pra não parar de remar,
porque te ver remando me dá vontade
de não querer parar de remar também."

Fiquei ali parado,

procurando alguma coisa

que não estava

nem esteve

ou estaria jamais ali.
"...depois de todas as tempestades
e naufrágios
o que fica de mim e em mim
é cada vez mais essencial e verdadeiro"

Asas


"É dificil aprisionar os que tem asas"

Trecho de Os dragões não conhecem o paraíso - C.F.A
"Natural
é as pessoas se encontrarem
e se perderem".
(Caio Fernando Abreu)
Muitas vezes o silêncio fere...
Não, meu bem,
não adianta bancar o distante:
lá vem o amor nos dilacerar de novo...

sábado, 21 de março de 2009

Necessidades


IN

`De médico e louco todos nós temos um pouco`


Essa semana Jú levou brigadeiro

para a festa surpresa da professora.

Tem coisa melhor que enrolar brigadeiros

e passá-los no no granulado??

Tem...

Lamber a panela

e os dedinhos depois da farra!

Abismos de Amor

Não precisa falar mais nada...


"Existem duas ocasiões perfeitas

para se ficar calado:

quando você sabe de menos e

quando você sabe demais."

(twitter - Rosana Hermann)

Referências

Longe é um lugar que não existe...



Cuidados básicos - kit de primeiros socorros


Muitas vezes aquilo de que precisamos

são coisas simples como um cobertor

acompanhado de um chocolate quente.

terça-feira, 17 de março de 2009

..."E amar muito,
quando é permitido,
deveria modificar uma vida”
. Caio Fernando Abreu .

domingo, 15 de março de 2009

Labirinto


De tão mal acostumada,

ela aprendeu a esperar.

Esperava por algo que nunca chegava,

pois tudo sempre lhe foi dado na mão,

bastava pedir.

Mas daquele ponto de partida

ela não movia um passo.

Não poderia mover as pernas

- presas por uma corrente grossa de ferro.

E seus pés estavam cravados

em um cimento frio.

Era tudo metáfora,

mas o enfeite das palavras

serviam para dissimular

a falsa dor que ela sentia.

A porta permanecia aberta,

mas seus olhos estavam cegos.

Por hora, ela desviava.

Não queria enxergar a saída

porque não estava pronta para ir embora.

Nunca esteve.

Fala em liberdade como uma revolucionária.

Sabe o caminho,

mas não tem certeza se vai.

Pensa nas consequências,

desiste.

Volta,

altera.

Pensa.

De tanto pensar,

descobre que passou anos ali,

naquele mesmo lugar sem escolha definida.

E cresce sem saber que ainda é menina.

sábado, 14 de março de 2009

Acho que viciei no twitter...

Doces, ou melhor, salgadas lembranças


Saleiros iguais aos da casa da vovó...

O Rio pode ser legal

Cariocas presenteiam o Rio com trabalho voluntário.
Vale conferir:

Pela janela

Há um excesso de informação
saindo por todos os poros do planeta.
Isso gera uma ansiedaaaadeee...
Ansiedade de sabermos ser impossível
assimilar essa avalanche toda.
No fundo
sabemos que a relevância dos fatos
é contestável,
nem vale o estresse que causa
mas não conseguimos desviar
o seguinte pensamento :
"estamos perdendo
alguma informação importante?"
Será que realmente
precisamos de tanta informação?
Só sinto que precisamos viver mais,
olhar mais o mundo
e ficar menos
em frente a tela recebendo informações.
O mundo é como o vemos.
Nada paga nosso olhar sobre ele.
Portanto, saia de casa agora e
vá viver!
Construa suas teses,
teorias,
conclusões,
ou apenas olhe e sinta
tudo ao seu redor.
Vamos acabar com essa osmose!
P.S: Essa imagem linda eu peguei no twitter
num ensaio sobre gatos.

Blog Global


Estou olhando as mensagens do twitter.

É muita gente postando muita coisa.

Algumas informações são interessantes,

outras simplesmente esdrúxulas.

O twitter é uma grande comunidade

onde vc posta o que quer,

resumindo:

é basicamente um blog comunitário!
*♥* :¸.•*¨).:“ *♥*´“:¸.•*¨:…:“ *♥*´“:¸.•*¨).:“ *♥*´“:¸.•*(.:“ *♥* 
O importante é amar!
  *♥*  *♥*

sexta-feira, 13 de março de 2009

^quando eu tiver setenta anos
então vai acabar esta minha adolescência
vou largar da vida louca
e terminar minha livre docência
vou fazer o que meu pai quer
começar a vida com passo perfeito
vou fazer o que minha mãe deseja
aproveitar as oportunidades
de virar um pilar da sociedade
e terminar meu curso de direito
então ver tudo em sã consciência
quando acabar esta adolescência^

Paulo Leminski

Dedo na Garganta


"(...) Se não gostar de ler,

como vai gostar de escrever?

Ou escreva então para destruir o texto,

mas alimente-se.

Fartamente.

Depois vomite.

Pra mim,

e isso pode ser muito pessoal,

escrever é enfiar um dedo na garganta.

Depois, claro,

você peneira essa gosma,

amolda-a, transforma.

Pode sair até uma flor.

Mas o momento decisivo

é o dedo na garganta (...)"

Caio Fernando Abreu
¨Todos os meus livros são simples tentativas de rodear
e devassar um pouquinho o mistério cósmico,
esta coisa movente, impossível, perturbante,
rebelde a qualquer lógica, que é a chamada realidade,
que é a gente mesmo, o mundo, a vida.
Antes o obscuro que o óbvio, que o frouxo.
Toda lógica contém inevitável dose de mistificação.
Toda mistificação contém boa dose de inevitável verdade,
precisamos também do obscuro.¨
João Guimarães Rosa

Charge