domingo, 30 de março de 2008

Na Natureza Selvagem


"Gostaria de repetir o conselho que lhe dei antes:

acho que você deveria promover uma mudança radical em seu estilo de vida

e começar a fazer corajosamente coisas em que talvez nunca tenha pensado,

ou que fosse hesitante demais para tentar.

Tanta gente vive em circunstâncias infelizes e, contudo,

não toma a iniciativa de mudar sua situação porque está condicionada

a uma vida de segurança, conformismo e conservadorismo,

tudo isso que parece dar paz de espírito,

mas na realidade nada é mais maléfico para o espírito aventureiro do homem

que um futuro seguro.

A coisa mais essencial do espírito vivo de um homem é sua paixão pela aventura.

A alegria da vida vem de nossos encontros com novas experiências.”

sexta-feira, 28 de março de 2008

Início de uma nova fase...

Grande Paulo Freire

"Ninguém pode estar no mundo,
com o mundo e com os outros de forma neutra.
Não posso entrar no mundo de luvas na mão,
constando apenas"

Quem escreve constrói um castelo...

Quem lê passa a habitá-lo...
(Silvana Duboc)
O interessante é habitar o castelo,
mas castelos que ajudamos a construir.
Não basta ler livros, revistas, buscar sites, ouvir, perceber
e estar otimamente informados se não usamos toda essa informação e conhecimento
para TRANSFORMAR o mundo em que vivemos!!
Precisamos acima de tudo questionar, nos posicionar, criticar, enaltecer, refletir,etc
diante de todas as informações disponíveis.
O mais importante é transformarmos o mundo em benefício de todos,
e só faz isso
quem detém conhecimento e mistura-o com ação.

segunda-feira, 24 de março de 2008

Águas de Março

É pau, é pedra,
é o fim do caminho
é um resto de toco,
é um pouco sozinho
é um caco de vidro, é a vida, é o sol
é a noite, é a morte, é um laço, é o anzol
é peroba do campo, é o nó da madeira
caingá, candeia, é o Matita Pereira
É madeira de vento, tombo da ribanceira
é o mistério profundo
é o queira ou não queira
é o vento ventando, é o fim da ladeira
é a viga, é o vão, festa da cumeeira
é a chuva chovendo, é conversa ribeira
das águas de março, é o fim da canseira
é o pé, é o chão, é a marcha estradeira
passarinho na mão, pedra de atiradeira
Uma ave no céu, uma ave no chão
é um regato, é uma fonte
é um pedaço de pão
é o fundo do poço, é o fim do caminho
no rosto o desgosto, é um pouco sozinho
É um estrepe, é um prego
é uma ponta, é um ponto
é um pingo pingando
é uma conta, é um conto
é um peixe, é um gesto
é uma prata brilhando
é a luz da manhã, é o tijolo chegando
é a lenha, é o dia, é o fim da picada
é a garrafa de cana, o estilhaço na estrada
é o projeto da casa, é o corpo na cama
é o carro enguiçado, é a lama, é a lama
é um passo, é uma ponte
é um sapo, é uma rã
é um resto de mato, na luz da manhã
são as águas de março fechando o verão
é a promessa de vida no teu coração
É pau, é pedra, é o fim do caminho
é um resto de toco, é um pouco sozinho
é uma cobra, é um pau, é João, é José
é um espinho na mão, é um corte no pé
são as águas de março fechando o verão
é a promessa de vida no teu coração
É pau, é pedra, é o fim do caminho
é um resto de toco, é um pouco sozinho
é um passo, é uma ponte
é um sapo, é uma rã
é um belo horizonte, é uma febre terçã
são as águas de março fechando o verão
é a promessa de vida no teu coração
É pau, é pedra, é o fim do caminho
é um resto de toco, é um pouco sozinho
É pau, é pedra, é o fim do caminho
é um resto de toco, é um pouco sozinho
Pau, pedra, fim do caminho
resto de toco, pouco sozinho
Pau, pedra, fim do caminho,
resto de toco, pouco sozinho

sexta-feira, 21 de março de 2008

Roubaram-lhe o relógio.
Ganhou tempo.
(DVeras)
Pobre e feliz.
Sabia:
alegria não tem dono.
Tomou-a para si.
(Metamorfose Pensante)

O escritor de microcontos...


O escritor de microcontos é um cara impaciente.

Decidiu criar barba, pois não gosta de perder tempo.

Esquece de cortar o cabelo em meio aos afazeres importantíssimos e volta e meia sai de casa sem se pentear por causa de um atraso imprevisto ou de um adiantamento de agenda.

É um homem sóbrio e de maneiras apressadas, porém atencioso.

Dedica sua extrema atenção ao minucioso planejamento de todas as suas tarefas.

Está sempre decidindo, não o que pretende fazer, mas o que vai deixar de fazer hoje.

Ele administra pendências.

Caso você precise de algo, ele tem um bom coração: dedicará a você o tempo necessário - não mais, não menos - e depois riscará algo de sua lista de afazeres, antes de sair com pressa.

O escritor de microcontos não se considera um escritor.

Ele é engenheiro, advogado, médico legista, gerente de uma mercearia. Ele tem uma vida cheia de coisas importantes e não liga para literatura.

Sequer se lembra da última vez que teve tempo de abrir um livro.

Se diz contente com as escolhas que fez, mas não consegue dormir à noite.

As histórias lhe enchem a mente durante o dia,

empatam seu raciocínio e povoam seus sonhos.

E ele acorda ainda mais cansado do que quando foi dormir,

cansado de viver intensamente 24 horas por dia.

Acordado, vive sua vida conforme o plano;

dormindo, vive todas as histórias confusas que não queria ter criado,

mas que se recusam a ir embora.

O escritor de microcontos acorda já suado, se levanta e abre as janelas.

Senta-se à mesa e escreve, um a um, todos os seus sonhos.

Os pedacinhos de que se lembra de uns, a totalidade esquartejada de outros.

São pedaços reduzidos e sintéticos.

Ele sabe que as histórias estão dentro de cada um, e que basta uma pista para que as pessoas despertem para elas e vivam-nas por completo, cada uma ao seu modo.

Ele escreve estas pistas em parte por crer na imaginação humana, em parte porque não consegue encaixar na sua agenda o tempo de escrever uma história inteira, em parte porque entende que as histórias estejam sempre inteiras e incompletas ao mesmo tempo e ele não gosta de dizer mais que o necessário.

Mais que isso, o escritor de microcontos não concebe o esforço desnecessário.

Ele viveu toda sua vida fazendo somente o que tinha de ser feito, comprimindo o tempo, espremendo os dias, otimizando os processos.

O desperdício, principalmente de tempo, lhe soa como uma insensatez, um descabimento.

As horas vão passando e ele enche dez, onze, doze páginas de histórias que ocupam uma linha cada.

Algumas precisam de mais palavras, outras de menos, mas todas levam apenas o número exato. Enquanto escreve, sua mente vai se esvaziando.

Aquela angústia, aquele suor, aquele barulho, como um raio, passam por suas mãos e preenchem o papel.

Não raro ele acorda no outro dia de um sono tranqüilo e reconfortante com o pescoço virado e a testa manchada de tinta de caneta.

A cabeça sobre o papel e os contos terminados.

São dias bons e proveitosos, geralmente mais calmos que os demais.

A mente está limpa, ele não confunde os afazeres, a agenda se articula como num jogo de tétris, cada coisa em seu lugar, cada peça em seu espaço.

Nestes dias ele chega a se esquecer de sua identidade indesejada e secreta.

O escritor de microcontos volta a ser somente um doutor em física nuclear, um neurocirurgião, um administrador de uma fazenda de avestruzes.

Vive como planejou viver, até que as histórias voltem a consumir sua paz, seu juízo e seu tempo. Elas sempre voltam.

Mal sabe o escritor de microcontos quantos escritores de enciclopédia gostariam de ter sua capacidade de síntese.

E a única ciência estudada seria a da síntese geral das coisas, que poderia se chamar Sintetilogia.

Talvez nesse dia, o escritor de microcontos pudesse finalmente sentar-se e perceber que fez tudo o que queria num só dia, e que ainda lhe sobrava bastante tempo.

Então ele se sentaria à mesa com toda a paciência, depois de ter almoçado longamente, lido o jornal e tomado um cafezinho.

Talvez ele se pusesse, após alguns momentos contemplando um objeto qualquer, a escrever romances e histórias cheias de detalhes.

Detalhes sem importância, que as pessoas poderiam muito bem intuir sozinhas, mas que eram os detalhes de um mundo que só existe em sua cabeça e que ninguém conhecia antes.

Talvez não precisasse nem mesmo deixar de escrever microcontos.

Talvez.

Não era o que procurava.
Perdeu-se em pensamentos.
(Prosopopeia Ignara)
Mergulhou em cálculos.
Nada resolveu.
É um problema.
(j. novelino)

Solilóquio

Meus olhos sentem saudade
Do que ainda não viram,
As mãos procuram
O que ainda não existe.
Ouço o som do silêncio,
Escrevo a palavra muda...
Procuro nos meus sonhos,
O gosto que ainda não senti.
Deixo para trás o medo
Da vida que não vivi...
E na ponta dos dedos,
Descubro um mundo.
Ainda não me reconheço...
Posto que sou o avesso dos meus sonhos.
( O Prazer de Pensar II...)

Pensamento vem de fora

E pensa que vem de dentro,

Pensamento que expectora,

o que no meu peito penso.

Pensamento a mil por hora,

Tormento a todo momento.

Por que é que eu penso agora sem o meu sentimento?

Se tudo que comemora

Tem o seu impedimento,

Se tudo aquilo que chora

Cresce com seu fermento;

Pensamento, dê o fora,

Saia do meu pensamento.

Pensamento, vá embora,

Desapareça no vento.

E não jogarei sementes

Em cima do seu cimento.

- Arnaldo Antunes –

A lemniscata é uma figura geométrica em forma de hélice que é o sinal matemático do "infinito".
Simbolicamente a lemniscata representa o equilíbrio dinâmico e rítmico entre dois polos opostos.
O símbolo da lemniscata nos remete diretamente ao Arcano Maior do Tarot de número XIV:
"A Temperança" - onde vemos uma mulher que mistura e equilibra, através de sucessivas misturas, dois jarros que contém água:
um com água fria, outro com água quente.
Conforme as sucessivas passagens de fluidos de um jarro a outro,
e deste de volta ao primeiro, se processam, obtém-se o elemento morno (temperado).
Esta carta corresponde à letra hebraica "Nun" na Cabalah.
Da mesma forma, a lemniscata foi largamente usada nos desenhos celtas e insistentemente reproduzida em seus intrincados desenhos de formas.
A lemniscata, principalmente em suas representações celtas,
nos remete diretamente ao "Ouroborus", símbolo antiqüíssimo,
resgatado pela tradição alquímica,
onde se vê uma serpente que morde o próprio rabo e dovora-se a si mesma.
O Ouroborus é também representação simbólica do Infinito e do equilíbrio dinâmico universal.
Carl Gustav Jung, refere-se a este símbolo como o "Mysterium Conjuctionis" (Mistério da Conjunção),
resultado do "Hieroghamos" (Casamento Sagrado),
equilíbrio do Masculino e do Feminino Universais,
essência fundamental da mente humana e,
em uma visão mais ampla, da existência humana em si.

LEMNISCATA

A NOITE E A LEMNISCATA
A título de curiosidade vale pelo sincronismo entre a noite e a lemniscata.
O que uma percepção é capaz de descobrir ao comparar, de uma forma bem generosa, os significados das palavras e as possibilidades das mesmas dentro de um contexto.
Não deve ter sido à toa que Ziraldo, além de excelente quadrinista, mandou assim:
"Em todos os idiomas europeus, a palavra NOITE é formada pela letra N + o número 8.
A letra N é o símbolo matemático de infinito e o 8 deitado também simboliza isso
Ou seja, noite significa, em todas as línguas, a união do infinito.
Português: noite = n + oito
Inglês: night = n + eight
Alemão: nacht = n + acht
Espanhol: noche = n + ocho
Francês: nuit = n + huit
Italiano : notte = n + otto".

quarta-feira, 19 de março de 2008

Lanço um olhar
e espero reciprocidade
O dia mal amanheceu.
A fraca luz que entra
desenha contornos indefinidos.
Tateio em busca de algo
só ouço o barulho de tudo
que despenca
levado pelos meus dedos sem direção...
encontro o interruptor.
Faz-se a luz!
Consigo enxergar
através do espelho
tudo aquilo que não ouso admitir

a.l.o.n.e


Só posso falar por mim

pelos outros não vou me arriscar.

Sei dos meus medos,

das minhas necessidades,

das minhas angústias,

dúvidas,

frustrações,

desejos...

Sei bem o que quero

e ainda mais o que NÃO quero.

Não posso ficar a mercê de desejos alheios.

Sei da minha capacidade de me doar e

de me dedicar...

mas e a dos outros???

Quando se cai sozinho,

levantar é bem mais fácil...

Medos, angústias e etc

O maior medo que dá é se desfazer de um sonho
para poder construir outro,
mas outro que depende de outras pessoas
para dar certo...

Como canta SS nas tardes de domingo:
"Não sei se vou ou se fico,
não sei se fico ou se vou.
Se vou sei que não fico.
Se fico sei que não vou."
Difícil decisão...

Olhos vívidos

respiração ofegante

cabelos desalinhados

mãos trêmulas

boca entreaberta,

salivante que balbuciava

sons quase inaudíveis...

Assim era mais um dia na vida

de Jacinto.

Alma livre

corpo aprisionado

entre muros...

Sua vista alcançava

até os limites das grades

mas seu espírito voava livre

Conhecia o

céu,

o mar ,

a terra,

as matas

e até os corações dos outros homens.

Conhecia-os como ninguém...


"É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer...
É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,
Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas...
Não crer em Deus e fazer seu destino,
Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,
Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.
É proibido não buscar a felicidade,
Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual. "
Pablo Neruda

Amantes

"Fogo e gasolina.
Os dois eram assim.
Parecia que o mundo se dissolvia ao redor deles
quando os lábios se tocavam,
e qualquer noite ficava curta demais.
Redescobriram o sentido da palavra "amantes"
dando a ela as cores de quem trata o "fazer amor"
como arte a ser cuidadosamente estudada
e reinventada a cada encontro.
O desejo era a sua linguagem, mas não existia só.
Nunca passearam na praça de mãos dadas como namorados,
mas o simples toque suave nos cabelos dele
era uma longa e terna caminhada.
Nunca foram ao cinema ou saíram para tomar sorvete,
mas os olhares que ela recebia traziam a paz de uma tarde de domingo.
Eram, enfim, a plena realização de algumas faces do amor
e a plena ausência de muitas outras.
Uma relação feita de beleza impensável a cada início
e tristeza infinita a cada abotoar de roupas.
Quando deixaram de se ver, pelas armadilhas costumeiras do tempo e da distância,
tornou-se para ele impossível então vestir-se.
E seguiu vivendo nu,
preso por um amor que foi o mais completo,
mesmo nunca tendo sido inteiro."
(Devaneios e Desabafos – Renata)
Para estar junto não é preciso
estar perto ou longe
mas sim do lado de dentro
(Da Vinci)

" Qualquer coisa que a mente do homem
pode conceber pode também alcançar."
Wiliam Stone


A crença popular já disse que "energia negativa atrai coisa ruim."
A física quântica já demonstrou que pensamento é energia.
A psicologia cognitiva já consagrou que o pensamento distorcido
ou disfuncional ifluencia o humor e o comportamento das pessoas,
e é comum a todos os distúrbios psicológicos.
A neurociência já comprovou que o pensamento ativa regiões cerebrais
diretamente envolvidas com as emoções e com a percepção das pessoas.

" Dois...
Apenas dois.
Dois seres...
Dois objetos patéticos.
Cursos paralelos
Frente a frente...
...Sempre...
...A se olharem...
Pensar talvez:

“Paralelos que se encontram no infinito...”
No entanto sós por enquanto.
Eternamente dois apenas. "

Pablo Neruda
"Já que se há de escrever,
que pelo menos não se esmaguem com palavras
as entrelinhas."
(Clarice Lispector)
“Somente uma pessoa que aprendeu a amar é madura.
Uma pessoa madura não “cai de amor”, ela se “eleva no amor”.
E quando duas pessoas maduras estão se amando,
um dos maiores paradoxos da vida acontece.
Elas estão juntas, são quase um,
mas esta unidade não destrói a individualidade,
Na verdade realça.
Duas pessoas maduras em verdadeiro amor
ajudam-se mutuamente a se tornarem mais livres,
mais plenas, mais completas.”
Osho

terça-feira, 18 de março de 2008

Pastel de vento

14:23, calor insuportável,
fumaça de ônibus pra todo lado,
buzinas ensurdecedoras
misturadas ao caos de toda cidade grande.
Afrouxo o colarinho para suportar mais meia quadra...
chego exausto em frente à Cinelândia.
O suor escorre pelo corpo e é absorvido pelo tecido
do meu terno comprado numa loja de quinta.
-Um pastel de queijo e um suco de caju.
digo para o China, dono da pastelaria
desde meus mais tenros anos.
Mordo vorazmente aquele que será meu almoço
de sexta feira.
Vento...
Sinto apenas o vento do pastel
que desce junto ao suco de caju,
me trasportando para a mais
prazerosa das viagens...
O pastel nunca tem queijo,
mas esse é meu trunfo para os dias quentes.
"Nós somos feitos da mesma matéria que os sonhos."
Shakespeare
"Não há razão para termos medo das sombras.
Apenas indicam que em algum lugar próximo brilha a luz. "
(Ruth Renkel)
"A linguagem tolera a aplicação da lógica - a experiência não".
(Laura C. Ribeiro)

A experiência é anterior à linguagem.
E por isso, hoje eu não quero falar de um grande amor, quero vivê-lo.
Não quero palavras de consolo e nem mesmo de incentivo, quero só um abraço.
Não quero falar dos amigos, quero-os perto de mim.
Não quero som.
Quero o tato. Hoje eu quero o silêncio que preenche,
a experiência assim... nua e crua!

Diálogos


-Ooooooi !!!
-Oooi!!
- Puxa, quanto tempo!
- É, muito tempo mesmo, né...acho que não te vejo desde aquele dia...
- Pois, é...então me conta, como você está?
- Na correria, não tenho tempo de nada.

Aliás agora mesmo estou atrasada para uma reunião,

mas a gente se fala, vamos marcar de encontrar...
- Vamos sim!
- Então bjo...dá um bjo no Paulinho...
- Ciao!
- Ciao!


E em segundos as pessoas desaparecem em meio a tantas outras desconhecidas...
Talvez esta seja uma das cenas mais comuns em nosso dia-a-dia.

Aliás, acho até que podemos deixar o diálogo programado

e aí só apertar um botãozinho para dizer:

" e aí, tudo bem? Eu tô na correria..."
.
E a gente está correndo tanto para que?!
.
Essa é uma pergunta sem resposta pra mim,

embora eu também faça parte do "time do botãozinho ".

Faço parte sim, e poderia até justificar contando as pressões da vida que levam à tal situação.

É o mercado de trabalho que demanda, é a pressão da economia, é .., é..., é... Mas a verdade é que a gente está sempre fazendo escolhas, e se estamos no time do botãozinho é porque escolhemos ali estar.

Sim, a vida puxa...mas a pergunta fica: para que estamos correndo?
.
Percebe que quando vamos tentar responder acabamos falando os porquês,

mas não conseguimos identificar o para que?!

Pois é bem difícil achar que estamos todos interessados em ficar sozinhos,

vivendo em um mundo quase autista,

mas que ao mesmo tempo oferece inúmeras possibilidades de comunicação...

É, vc já parou pra pensar na nossa realidade, é essa aqui, da chamada "blogosfera"?! Conversamos com várias pessoas, trocamos idéias, trocamos até receitas,

mas de verdade quem conhecemos?!

E conhecer por acaso não é mais do que saber o que a pessoa pensa sobre o amor,

ou o aborto, ou a política?!

Conhecer não é mais do que saber quanto a pessoa mede, que cor é o cabelo, se é gorda ou magra, bonito ou feia, ...?!
.
Para mim é muito mais que isso, e quer saber?


Ultimamente eu ando esfomeada.

Com fome de conhecer as pessoas.

Sabe aquele se interessar sobre a dinâmica do outro?!

Sobre a essência do outro?!


Eu ando mesmo com fome de conhecimento.

Num sentido amplo da palavra.

Como uma criança na fase que está explorando o mundo.

E cada vez mais entendo que para eu conhecer alguém

ou algo preciso deixar um pouco de lado o meu quadro de referências...

e puxa como eu gostaria que as pessoas fizessem isso também!!!


Acho que essa reflexão não tem um fim.

Mas tem um convite: ei, você aí, quer conhecer o meu mundo?!

E eu posso conhecer o seu?!

Tem gente que deixa a gente só molhar o pezinho para ver se a água está fria...

e tem gente que já pula de cabeça...

e assim é o mundo de cada um...


"Minha condição humana me fascina.
Conheço o limite de minha existência
e ignoro por que estou nesta terra,
mas às vezes o pressinto.
Pela experiência cotidiana,
concreta e intuitiva eu me descubro vivo para alguns homens,
porque o sorriso e a felicidade deles me condicionam inteiramente;
mais ainda para outros que,
por acaso, descobri terem emoções semelhantes às minhas."
Albert Einstein

Ética e bom senso na metrópole

Domingo, fim de tarde,
meu compromisso
é apenas com o conforto,
com o sol,
com o ar puro e com
o vento que me despenteia...
Barulhos ferem meus ouvidos,
poluição agride meu nariz,
gente mal educada a minha visão
e pessoas inconvenientes agridem meu tato...
Não cutuca!
O espaço é para todos,
mas não use o meu, please!
-Sim, o que deseja?
-Tia...Dá para acender meu cigarro?
Tia???
Cigarro????
-Ah...Vai pra PQP!!
Para degustar aos poucos...

Quem está fora quer entrar e quem está dentro quer sair

Quem está solteiro vive imaginando como sua vida
seria melhor se tivesse alguém para compartilhar o dia-a-dia.
Alguém para almoçar junto,
para rir junto numa boa comédia,
para pedir colo nos dias de carência,...
Alguém para "fazer" os filhos,
alguém para criar junto os filhos,...
Alguém para amar e se sentir amado...

Mas nessa hora, o solteiro,
não se lembra que tudo isso implica também em ter alguém para:
Implicar com a sua mania de comer batata frita com a mão,
ou de apertar a pasta de dente no meio e ainda perder a tampinha!!!
Para ficar falando horas na sua cabeça,
depois de um dia complicado no trabalho,
sobre a conta de luz que está atrasada,
a escola dos meninos que aumentou outra vez,
a sogra que vem para o fim de semana,
a briga das crianças pelo video-game,....
AFF!!!

Isso sem falar nas sessões de
"você não é mais o(a) mesmo(a)"...
Já não é mais tão divertida(o) ,
tão companheira(o) ,
tão gostosa(o) ,
tão deliciosamente afim de sexo,...tão...tão,...

E você, casado, já não se sente tão "livre",
tão senhor da sua vida...
"Quem é mais feliz, os casados ou os solteiros"?
Desde quando ser feliz é uma questão de estado civil?!
Já parou para pensar a quais interesses serve essa concepção de felicidade:
(econômicos, culturais, religiosos, etc..)?
O que importa é que tanto casados como solteiros
possam descobrir a verdade de seus corações em relação a suas escolhas ,
e o sentido de tudo isso para cada um.
Mudar de estado civil não significa
mudar de estado de espírito!!
Casados e Solteiro, uni-vos!
Sejamos TODOS felizes!!!

Pessoas de bem...


O importante da nossa vida tornou-se em algo que é exterior a nós

... matéria... bens de consumo...

Nos mais diversos lugares abunda a conversa da treta,

sem substância, sem idéias, ou ideais...

fala-se do carro que é preciso trocar,

dos negócios, do restaurante em que se comeu,

das pernas de fulana, do jogo de futebol,

da plástica, do botox,

e cada um tenta ser o menos simples que o outro...


O consumo veio apenas ao encontro do nosso espírito egoísta, do nosso grande eu... eu tenho... eu quero... eu sou... eu fiz... eu alimento-me a mim próprio do meu próprio ego.

Contrariamente ao que se possa pensar,

é preciso tão pouco para viver feliz e realizado,

é preciso tão pouco do que nos é exterior...

mas muito de nós próprios.

Quando eu era pequeno a minha mãe utilizava muito o termo “boa pessoa”

“vês aquele senhor ali é muito boa pessoa...

muito educado...

mas muito simples...

tem, muito bom coração”.

Hoje em dia um indivíduo assim,

simples, altruísta e bom é considerado um parvo, um lunático...

se calhar podia ter sido alguém... mas não quis fazer aquela trapaça, lixar o colega, fugir aos impostos, etc...

o povo até diz...

“coitado é uma alma simples, um simplório, um ingénuo,...

assim não se safa...

vai comido pelos espertalhões...

de boas intenções está o inferno cheio”.

Hoje em dia já ninguém valoriza as pessoas pelos seus VALORES,

pela sua simplicidade, pela sua pureza ou bondade...

e... o que é incrível é que as pessoas ainda se gabam publicamente das suas pequenas trafulhices e desonestidades.

O problema é que a “grande sociedade moderna” da informação,

das novas tecnologias e do consumo não se compadece

com estes atributos de simplicidade.

O problema é que nesta caminhada competitiva,

que é a vida nos países ditos civilizados,

é tão difícil ser-se simples.

A simplicidade é tão bela,

pois está diretamente ligada à pureza ou à bondade do ser humano,

aos valores que nos ensinaram os nossos avós e pais...

e é por isso que continuo a comover-me, quando através de um olhar,

de um sorriso, ou de um abraço, vislumbro um sinal de SIMPLICIDADE

que é ao fim e ao cabo símbolo de AMOR e de FELICIDADE.

Assim, mesmo nesta sociedade fria,

do século XXI, enquanto houver em cada um de nós um pouco de simplicidade...

a esperança renasce...

o homem não se transformará apenas num mero escravo dos seus caprichos mesquinhos

e a matéria não triunfará sobre o ser HUMANO.
Perder-se também é um caminho...
Leitura boa
inibe a "escritura" ruim!

A Riqueza do Cotidiano

Se pudéssemos lembrar de todos os fatos que presenciamos,
com certeza nos surpreenderíamos:
a cada esquina estaria uma crônica esperando para ser escrita.
Basta um olhar um pouco mais sensível
para conseguir para passar para o papel
tudo que corre pela nossa frente...

Destino

A senhora lhe ofereceu balas de hortelã.
Era muito tímido para rejeitá-las.
Aceitou.
Guardou-a no bolso, aonde também estavam suas
moedas:
todo seu dinheiro,
contado, certinho, para chegar ao seu destino.
Sabia lá qual era seu destino...
Só sabia que chegaria.
"...Seja médica, religiosa, professora, ARTISTA.
O que você quiser e o que mais lhe agradar.
Mas faça algo que atinja várias pessoas,
pessoas desconhecidas que poderão se beneficiar com suas obras.
Agindo assim,
você estará colaborando mais diretamente com o universo,
levando às muitas almas aquilo de que elas mais necessitam:
alívio, carinho, conhecimento, beleza...
E sua ajuda será imparcial,
porque é voltada para aqueles que você nem conhece. (...)"
(Gisele, a amante do Inquisidor)

Inflando o ego...


AQUARIANAS
Esta mulher possui toda a fidelidade dos signos fixos
quando está amando, mas possui também o alheamento
e a falta de emoção do elemento do ar.
Ela pertence a todos e, ao mesmo tempo, a ninguém.
Seu amor pode ser terno e inspirado,
mas será sempre vagamente indefinido,
como uma canção da qual só lembramos a metade.
Elas não gostam do divórcio nem o buscam,
mas para elas este não representa o mesmo choque
que para suas irmãs mais sentimentais.
Desde que é tão individualista,
com uma lista de amigos de várias milhas de comprimento,
a mulher aquariana não hesita
em continuar seu caminho sozinha, se for preciso.
Sua aparência é intrigante.
A maioria das mulheres de Aquário são encantadoras.
Ao lado das librianas, são as mais bonitas do Zodíaco.
Para dizer o mínimo, uma palestra com ela pode ser notável.
Não se deve falar do alto com uma mulher de Aquário.
Ela se ofenderá por não se sentir considerada uma igual,
e uma atitude antipática pode fazer com que ela se retraia e se torne inabordável.
Ela é sujeita a súbitos lampejos de inspiração, e sua intuição é notável.
No início, seu julgamento pode não parecer preciso ou prático,
porque ela enxerga meses e anos adiante.
A mulher aquariana vive no futuro.
O que ela diz se torna verdade,
talvez depois de muitas demoras e problemas,
mas acaba acontecendo.
Ela é mágica.

domingo, 16 de março de 2008

Apesar de você


Apesar dos meus credos,
defino os meus gestos ,
vou do abstrato ao concreto,
perdoou os meus desafetos,
crio modelos, escrevo novos versos.
Apesar dos meus medos,
dos meus exageros, a correnteza que brinco,
a água que me leva, sugiro que minha calma ,
venha de um só caminho, venha da alma
Apesar das minhas glórias, da minha história,
do meu mundo de fantasia , acredito em ventania,
preciso de alegria, fico desesperada com a ausência do dia
Apesar dos pesares, do grito que tenho guardado ,
do sufoco das madrugadas, do enrolo de uma toada ,
brinco com fogo, retiro carvão da madeira queimada.
Apesar de você , apesar de pesar o não saber,
apesar de nem conseguir prever ,
ainda acredito no meu querer ,
acredito que posso viver meu amor com você.
Apesar dos pesares, e das minhas incertezas e inseguranças....
Adoro quando você diz que me AMA.
Falo pelos cotovelos, pela língua, pelo cabelo
Falo de boca aberta, falo pausadamente
Falo mostrando os dentes porque falo contente
Falo de cabeça pra baixo, falo o que vem na mente....
não importando quem me entende
Falo a fala dos mudos, de forma gesticular
Sem forma , sem jeito, regular
Falo com outros planetas
Plantas, flores, cometas
Falo com ricos e pobres, pretos, brancos, amarelos,índios
Com quem encontro no caminho
Falo com essssses, faço beicinho
Falo na feira, pastel, frutas, passarinho
Falo com carinho, falo devagar, normalmente para não errar
As vezes falo alterada me sentindo mal educada
Falo para que eu possa ouvir
Falo e calo, um dialogo entre mim e mim
Falo para aprender, e ser
Falo para que não seja o fim...
(Tempoemanoar)

Loucura boa, viver!

Não sei se ando preguiçosa
Exigente ou cansada
Maluca ou engraçada
A toa ou atacada
Ando pensando
Em andar de ponta cabeça
Em virar borboleta
Ter uma motocicleta ,ficar descabelada
E voar por uma estrada
Não sei onde vou parar com essas minhas idéias
Não sei se estou criativa ou pirada por um dia
Sobram fantasias ,falta coragem
As vezes me disfarço de mim
Na loucura do meu dia a dia,
Somo o riso, acrescento vontade
E vou voando por aí
Não sei se estou atrasada, apressada ou normal
Nada é igual, tudo tem sabor diferente
Se ando de traz ou de frente
Se pulo o muro ou ando na linha
De cabra cega ou amarelinha
O trem da vida passa
E passa boi passa boiada
Ando meio descarada
E fico rindo de mim
Não sei se paro o tempo ou se faço ele correr
Ando com umas idéias, umas viagens
Penso em arte e marte
Sacudo a poeira e fico com a sorte
É uma loucura boaViver
(Tempoemanoar)

Se algum dia....

Se em algum momento
o destino me reservar a sorte
de te encontrar fora do horário ,
fora do dia, fora das normas...
eu vou te ver.
Não importa onde ou como ...
Eu vou te ver.
Se em algum momento
o destino te reservar a sorte
de me encontrar fora do horário,
fora do dia, fora das normas...
venha me ver.
Não deixe o medo dominar o querer
O medo faz o querer desquerer,
o prazer murchar,
o rio secar,
o coração parar.
Deixe o querer...querer

Todo dia...

A grande sabedoria
é reconhecer que todo dia
é um novo dia
e é preciso renovar
e se aventurar em novas trilhas.
Nunca estamos "prontos" pra tudo,
nunca estamos "prontos" pro nada....
Só devemos estar prontos para não esquecer :
Todo dia o sol vai nascer.
(Tempoemanoar)

Agora sei.....


Sei que a presença preenche,
mas ocupa
Sei que estar perto alimenta,
mas engorda
Sei que o amor abastece,
mas sufoca
Sei que dormir junto é quentinho,
mas aperta
Sei que acordar junto o sol aparece,
mas atrasaSei que,
apesar de parecer que sei,
sei que não sei
E se soubesse mudava tudo....
(Tempoemanoar)
Toda relação tem que ter troca:
Se for boa, um troca com o outro,
Se não for, troque o outro...

Carta para o meu futuro bem querer


Querido bem,

Você pode chegar sem me avisar ,

pode entrar ficar e se acomodar.

Deixei a chave na porta...

está aberta para você.

Por favor , mas não me assuste,

não deixe que eu sinta a sua presença

de uma forma invasora.

O amor deve ser leve.

Chegue e fique,

se veio para alongar a minha vida,

para fazer com o que hoje é bom

fique ainda melhor.

Hoje pareço só mas não sou.

Moro sozinha , é verdade ,

mas não me sinto só .

Me sinto feliz acompanhada de mim .

Tenho amor no coração, trabalhei meu carinho,

desenvolvi a divisão e assimilei a troca,

por isso posso tê-lo aqui.

Se não sente como eu sinto

...não chegue neste momento .

Não venha para me aborrecer

e me fazer chorar.

Não chegue para me chatear.

Não quero me sentir só estando com você.

Hoje acredito :

O amor pode existir de forma tranqüila ,

recheado de beijos e abraços gostosos.

Uma relação deve ser uma troca de boas gargalhadas,

papos infinitos e namoros intermináveis.

Para amar , casar e mudar

é preciso mudar , amar e casar.

Eu acredito que mudei ...

você precisa chegar.

Eu cheguei.......


(Tempoemanoar - AB)

Quero me casar



Quero me casar

na noite

na rua

no mar

ou no céu

quero me casar.
Procuro uma noiva

loura

morena

preta

ou azul

uma noiva

verde

uma noiva

no ar

como um passarinho
Depressa,

que o amor

não pode esperar !

sexta-feira, 14 de março de 2008

"Somos donos de nossos atos,
mas não donos de nossos sentimentos;
Somos culpados pelo que fazemos,
mas não somos culpados pelo que sentimos;
Podemos prometer atos,
mas não podemos prometer sentimentos.
Atos são pássaros engaiolados,
sentimentossão pássaros em vôo."
(Mário Quintana)

Antes de Sair

Eu tomei o último chá no copo de requeijão, antes de sair.
Antes de sair, eu abri a janela que viveu sendo parede.
Eu lavei colheres de plástico, antes de sair.
Antes de sair, eu lavei as mãos de veludo com sabonete de pêssego.
Eu equilibrei água dos olhos, antes de sair.
Antes de sair, eu mudei os livros de lugar na estante torta.
Eu li as linhas das folhas da planta, antes de sair.
Antes de sair, abraços ternos dos ternos de risca de giz.
Eu engoli a seco, caroço de ameixa, antes de sair.
Antes de sair, eu vivi o segundo dia como se fosse o segundo
e o último dia como se fosse o último.
Eu andei pelo corredor de portas, escolhi a que abria a ruae saí.
Karla Jacobina

Você se apaixona?




- Ahn?? Se eu me apaixono?

- A impressão que tenho é que você é tão independente,

mas tão independente, que é auto-suficiente...

- Sim, eu me apaixono.

Me apaixono e gosto de me apaixonar.

Me apaixono fácil e acho este o tempero mais gostoso da vida.

Me apaixono por detalhes e busco razões em tudo para me sentir apaixonada.

Que seja um beijo, um segundo, um relance.

Adoro me sentir encantada e encontrar motivos para que meus olhos brilhem.

Eu futuco, eu observo, eu pergunto, eu garimpo.

Eu preciso descobrir e matar minhas muitas sedes.

Sempre me entrego, seja qual for o modo que esta entrega possa ser vivida.

Não quero o mais ou menos, nem a sensação de estar gastando meu tempo

com algo que não tenha poder de ser fulminante

– e me esbaldo com a intensidade que não sei deixar de ter ao experimentar o mundo.

Eu sou assim, uma pessoa de paixões.

Sou tão dada e escrava do que sinto que me torno contraditoriamente independente.

Sou dona do que sou e não tenho medo do que desejo.

Sim, eu me apaixono, me apaixono sempre.

Nunca é vão.
Paula
Não deixe de ler:

A Armadura Moderna

...A força da vida era dolorida....
Ela acordava cedo, olhos inchados.
Ao se levantar da cama, sentia os pés arderem no chão gelado.
A cada passo até o banheiro seu corpo estremecia e suava frio:
era desespero lhe explodindo os poros, era a vida amanhecendo
e a jogando para um cotidiano febril....
Não queria mais aquela rotina de mulher moderna, cheia de afazeres.
Desejava apenas sua cama e suas tarefas domésticas tão realizáveis.
Sob o chuveiro, imaginava que a água levava pelo ralo toda sua revolta
pelo despertar do dia.
Ao banho cabia sempre a função de filtro entre sua vontade de permanecer
dona de casa, e a necessidade de se jogar à vida que a esperava na rua....
Ela resistia, mas depois de lavada com água e espuma,
vestia-se com o empreendedorismo feminino e fingia satisfação o dia todo....
Tudo recomeçava à noite.
Samantha Abreu
"A maturidade tem mais a ver
com os tipos de experiências que se teve
e o que você aprendeu com elas do que
com quantos aniversários você celebrou."
William Shakespeare

Algumas verdades...

Amores eternos podem acabar em uma noite;
Grandes amigos podem se tornar grandes estranhos;
Ouvir os outros pode ser o melhor remédio
ou o pior veneno;
Nunca conhecemos uma pessoa de verdade...
Afinal gastamos uma vida inteira para conhecer a nós mesmos;
O "nunca mais" não se cumpre;
O "para sempre" sempre acaba;
Vou sempre me surpreender...
seja com os outros ou comigo mesma;
Vou cair e levantar milhares de vezes;
E que apesar disso...
Ainda não vou ter aprendido tudo!