quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Gusanos lokos

Animação

Bichinhos animados engraçados

Muito bom!

As aparências...

Da série: comerciais...

Causos

Você já deve ter constatado que assunto puxa assunto,
o que Freud chamaria de 'livre associação'
os mineiros simplesmente
dizem que um causo puxa outro causo...
Ou uma crônica...
"Um órgão parecido com um coração foi encontrado,
no ínicio da tarde desta terça-feira,
dentro de um vidro na lixeira de um dos banheiros do terminal
de passageiros do Aeroporto de Confins.
De acordo com a assessoria de imprensa do aeroporto,
o órgão foi encontrado por um passageiro.
-Polícia!
Carregava um saco plástico transparente.
Dentro havia um vidro daqueles de boca larga,
de guardar biscoito de polvilho.
Aproximei-me e distingui o que me pareceu uma peça anatômica.
Identifiquei-me como psiquiatra
e pedi às pessoas se afastarem um pouco
para que pudesse socorrer o moço em crise de histeria.
Foi logo dizendo:
- Dr., toma isso aqui, não aguento nem ver sangue,
quanto mais um coração ainda fresco!
- Acalme-se, deve ser doação para transplante.
Sou médico e vou levá-lo para o Hospital das Clínicas.
Havia um envelope junto ao recipiente
e não hesitei em surrupiá-lo, despistadamente.
Pensei: "deve ser a explicação".
Aos seguranças apontei o moço:
- O pacote é dele.
Eu vi quando saiu do sanitário masculino.
Levaram-no para a Administração, acho.
Quanto a mim, saí de fininho. Longe de todos, li:
"Se você achou este vidro contendo um coração,
não o jogue fora.
É o meu.
Durante meses amei uma pessoa linda, maravilhosa,
alegre e radiante.
Ela não me conhecia,
mas eu descobri onde morava.
Toda manhã estava no mesmo ponto
em que ela tomava o ônibus para o centro.
Talvez nem me enxergasse,
nunca respondeu a um Bom dia! sequer.
Pensava nela durante o trabalho, o dia inteiro.
Ensaiei muitas vezes chegar perto,
identificar-me e declarar meu amor, mas não consegui.
Imaginava: Olha, moça, não te conheço,
mas quero te dizer que meu coração te pertence.
Eu te amo!De repente, ela sumiu.
Hoje cedo, vi a aliança em sua mão esquerda.
Concluí que se casara,
deve ter viajado para lua-de-mel e, agora, voltou.
Fui traído covardemente!
Resolvi desaparecer, viajar para longe, sem volta.
Antes de embarcar, arranquei do peito meu coração pulsante
e o deixei bem à vista.
Já vou embarcar. Adeus!
Peço a quem encontrar
que entregue o vidro e o bilhete
na Rua Eng° José Schultz Leonel, s/n. Bairro da Saudade."
Nas gravações das câmeras de segurança do aeroporto,
a polícia constatou a presença de um jovem
que claudicava em direção à fila para vôo 3341,
das 8,30h.
Semblante tranquilo, não chamava a atenção,
exceto por ter um imenso buraco no peito."
"Nada de coisas impossíveis
para que a vida possa ser mais bem vivida.
Apenas uma praia para janeiro,
uma fantasia para fevereiro,
um chocolate quente para julho,
um livro para setembro
e as mesmas vontades para dezembro.
No mais continuarei a manter
certas esperanças inconfessáveis
porém passíveis - o quanto - de acontecer".
Sigam o ensinamento do Millôr,
sempre mencionado pela Cora Rónai
e não amplie a voz dos imbecis.
Não responda, não tente explicar.
Não gaste sua energia com
o que não tem mais salvação.
Se a gente tem que aceitar em nome da democracia,
a gente aceita e pronto.
Mas investir energia vital e tempo precioso
tentando convencer um idiota é praticamente tão idiota quanto.
É o que eu tento dizer para mim mesma,
com pouquíssimo sucesso...
(Blog Querido Leitor)

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Coisas que já sabemos.

Olhe mais para o seu umbigo
e mergulhe de cabeça na sua vida.
Faça coisas que te dão prazer.
Caminhe, respire, ouça,...
Seja paciente e entenda você mesmo.
Seja compreensivo com seus defeitos
e tenha orgulho de suas qualidades.
Valorize o que você gosta, o que você é.
De verdade.
E assim, você encontrará dentro de você,
de forma simples,quase que de repente,
A tal da felicidade...
No amor há muito de vida
E sempre um pouco de Deus
De tanta frase bonita
Que a gente escuta ou lê
Sempre essa a mais bendita:
"Gosto muito de você"...
Amor, palavra que inspira
Todo um mundo de ternura
Vem!!
Apressa os teus passos
Estou morrendo de saudade,
Com sede dos teus braços
E com fome dos teus beijos...
Sem medo dos caminhos que me levam além...

Nova fase chegando...


Nada Diet

Sabores da infância são de uma gostosura ímpar!!!!
Hoje pude me lambuzar com o sorvete de chocolate,
feito pela Luciana, igualzinho ao que minha mãe fazia
quando eu era pequena...
Doces,
muito doces
as lembranças!

Em contagem regressiva...


sexta-feira, 24 de outubro de 2008

No Caminho

"Na primeira noite, eles se aproximam
e colhem uma flor do nosso jardim
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem;
pisam as flores, matam o nosso cão.
E Não dizemos nada.
Até que um dia o mais frágil deles,
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a lua e,
conhecendo o nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E, porque não dissemos nada,
já não podemos dizer nada."

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Mais uma verdade universal

Filho sai da barriga
e vai para cabeça.

Absurdos Urbanos


O celular toca na mesa ao lado.
A música era um funk horroroso,
e o som que saía era alto e distorcido.
O curioso é que o dono do celular estava ao lado.
Mas nada de atender.
O barulho continuava, e ele ali, só ouvindo.
Até que um amigo falou, com justa irritação:
- Você não vai atender, não?
- Daqui a pouco.
Ainda não chegou na parte que eu gosto.
Mauro Ventura

Banheiros


Num restaurante, o rapaz comenta algo com a moça e ela diz:
- Ih, eu tenho entrado nesse banheiro toda hora!
Ela estava indo ao masculino, que tinha um 'M'
na porta e ficava de frente para os clientes.
Confundiu com 'M' de 'Mulher'.
E como o lavatório feminino ficava na lateral
e a letra 'F' era estilizada,
o engano era justificável.
É uma confusão comum nos dias de hoje,
graças às modernidades dos decoradores.
No bar Gibeer, de meus amigos Jeff e Joner,
a solução foi criativa e não dá margem a dúvidas: Feios e Lindas.
Estive há pouco num casamento na Casa das Canoas
e o rapaz à minha frente empacou na hora de entrar no banheiro. Estava escrito "Gentlemen". Perto, outra porta trazia a placa "Ladies".
Não era tão difícil assim descobrir o correto, e,
após alguns instantes de hesitação, ele acabou acertando.
Só não entendi até agora por que está escrito em inglês.
Em outro local - agora falha-me a memória -
os símbolos eram tão confusos e rebuscados
que a casa pregou nas portas dois papelões onde estava escrito
toscamente à mão "Homem" e "Mulher".
O DJ Janot me contou que hoje tem lugares que fazem
a distinção pela cor da iluminação na porta (azul ou vermelho).
- E quem for daltônico? - ele pergunta.
Lembro de ter escrito há algum tempo:
"Vou a um restaurante recém-reformado
e empaco diante do banheiro.
Antes das obras, um lavatório mostrava
a letra 'H', de homem, e o outro a letra 'M', de mulher.
Simples assim. Agora, confuso, vejo-me diante de um 'O'
com o desenho de um alho e de um 'A'
com a ilustração de uma pimenta.
Sem pensar direito, abro a porta da pimenta,
no que sou detido por um garçom.
- É o outro - ele diz, antes de consolar-me:
- Muita gente se confunde.
Logo depois cai a ficha.
É uma moda que se espalha por aí e que daqui a pouco
vai fazer surgir a profissão de fiscal de porta de banheiro.
Uma amiga fala de um lavatório no exterior
que mostrava um círculo e um triângulo.
Ela ficou sem saber onde entrar
e teve que esperar outra cliente aparecer para então segui-la.
Neste caso eu não teria dúvidas, graças ao livro 'Código Da Vinci'.
Lá pelas tantas, o autor fala da célebre imagem desenhada por Da Vinci,
que mostra um homem dentro de um círculo
com os braços e pernas esticados.
O escritor explica que o pintor queria simbolizar
o equilíbrio entre o homem e a mulher.
O círculo é um símbolo feminino,
pois indica acolhimento e proteção.
Mas vai explicar isso para alguém apertado."
Mauro Ventura - DizVentura 17/01/2008

Por uma nova reforma ortográPHica - Volta PH!!!!

Podíamos começar uma mobilização
a favor do ph.
Tão charmoso.
Tão austero.
Nossas phrases teriam mais
epheito com a volta triunphal
do ph...

Com moderação

Enquanto amarro o cadarço do sapato,
leio o título de uma reportagem de capa numa revista.
A publicação está em cima da mesa,
submersa por outros objetos, como gravador, jornal e livros.
Só dá para ler um trecho da chamada:
"Working woman - Cinco looks".
Alguma coisa me soa estranha no texto.
Após matutar com meus botões, eles me respondem:
"É a palavra 'cinco' que está sobrando."
De fato, por que não five?
Tiro a revista debaixo da pilha de objetos
e finalmente entendo o que era óbvio,
mas que meus botões não perceberam:
não era um publicação americana.
Era uma revista feminina brasileira, claro.
E que, como é costume,
usa o português com moderação.
Mauro Ventura - no DizVentura de 13/10/2008 - Blog do O Globo On line

Ainda há espanto??!!

Pedro Cezar, o Pepê, autor do elogiado
e premiado filme "Fábio fabuloso",
conta que terminou enfim seu novo documentário,
"Só dez por cento é mentira",
sobre Manoel de Barros,
o maior poeta brasileiro vivo,
ao lado de Ferreira Gullar.
Perto de completar 92 anos,
Manoel de Barros é um colecionador de prêmios
e de leitores.
Pepê conta dois episódios recentes.
- Um conhecido chegou para mim e disse:
"Maneiro, brother.
Soube que você tá fazendo um filme sobre o Manoel de Carlos.
Ele faz altas novelas."
Pepê nem teve ânimo de desmentir.
E, há pouco, saiu publicado num jornal uma notinha:
"Pedro Cezar está rodando o filme
'Só dez por cento é mentira'
em homenagem aos 90 anos de Manuel Bandeira."

Rê Bordosa


Estou na fase testando receitinhas...

Verdade curta

Não consigo enxergar o óbvio,
pq sempre vejo além dele.

Onde há bobeira há....DIVERSÃO!

Pérola capturada,
com lente de aumento,
de comunidade orkutiana:
(52.478 membros)
­Para quem não faz mais questão de discutir
com menos favorecidos intelectualmente,
ou por simples misantropia..
— Eu queria propor-lhe uma troca de idéias...
— Deus me livre!

Persephone...por um mundo cheio de ph!


Neverland ou a Casa da Mãe Joana?

Ainda não contei...
mas calma...
vou contar...
Temos mais integrantes
dessa nossa
maravilhosa Arca de Noé high tech.
São lindos,
lindos,
mais que lindos.
São Bambu e Panda.
2 coelhos cinzas,
coisas fofas,
hiper dóceis
e que segundo Lulu,
meu inquilino quase perfeito,
devem ter dupla personalidade,
pois pensam que são:
G-A-T-O-S!
Isso mesmo.
Gatos.
Coelhos que deitam de barriga pra cima
p/ receber umas coçadinhas.
Pode?
Pode!
Aqui tudo pode.

Touché!

Capturamos o danado do gambá que
atazanava por essas bandas,
comendo todas as frutas
do viveiro dos meus jabutis.
Quando abrimos a armadilha...
SURPRESA!!!
Eis que surge não 1 gambá,
mas UMA gambá
e com filhotes.
Fim da operação:
Levei-os p/ um mato distante,
Todos ficaram em paz e felizes.
Amém.

Mitologia & Astrologia


quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Assim é se lhe parece...

Todas as Idades

Carregamos nossas idades como uma bagagem.
Com 30 levamos
nossos 5, 10, 15, 20...
Nunca deixamos nossas crianças
ou nossa juventude para trás.
Elas caminham lado a lado conosco.
Às vezes com pressa,
outras nem tanto.
Aos 40, 50, 60 levamos mais...
a bagagem cresce,
mas nem por isso
fica mais pesada,
Quanto mais anos se passam
mais nos damos conta
da leveza que a alma pode ter...
No fim do percurso temos tanto
tesouro guardado,
tantas recordações como aliadas,
que a viagem tem
um novo sabor...
Sabor
da paz que
só a maturidade,
com todas as suas idades,
é capaz de nos trazer.

Dois

Dois...
Apenas dois.
Dois seres...
Dois objetos patéticos.
Cursos paralelos
Frente a frente......
Sempre......
A se olharem...
Pensar talvez:
“Paralelos que se encontram no infinito...”
No entanto sós por enquanto.
Eternamente dois apenas.
Pablo Neruda

Certas coisas

Certas coisas
não se podem deixar para depois.
Muitos poemas perdipensando:
"depois escrevo",
"agora estou almoçando"
ou "consertando a porta".
Assim, adiei -
perdi o melhor de mim.
Certas coisas
não podem deixar para depois,
e nisto incluo; frutos no galho,
mudanças sociais,
certas coxas e bocas
e esta manhã que se esvai.
Certas coisas
não podem deixar para depois
o amor não se adia
como se adiam o imposto, a viagem, a utopia.
o desejo sabe o que quer,
detesta burocracia
Feito depois, o amor
é murcha lembrança
do que, não - sendo, seria
Certas coisas
não podem deixar para depois,
Como o amor e as pessoas,
não se pode recuperar
a poesia.
(Affonso Romano de Sant´anna)

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Túnel do tempo


Nossa!
Nunca fiquei tanto tempo sem escrever.
O que consola é que perder-se tb é um caminho...
e esses dias estive no MEU caminho,
perdida entre devaneios e divagações.
Fazendo um trabalho mecânico,
percorrendo os mesmos caminhos,
que sei de cor, e divagando...
divagando sobre a vida, os quereres,
os não quereres, os prós, os contras.
Verdade seja dita:
É essa mania de pensar demais
que acaba com a gente e
com a tal felicidade.