sábado, 27 de junho de 2009

Qual o doce mais doce que o doce...


Para adoçar nosso dia.

Simplesmente lindo,diferente, criativo, inovador,...

um exemplo de como a simplicidade

pode se transformar facilmente em sofisticação:


(meti a "colher" nesse site encontrado no Blog Querido Leitor)

Michael


Esses dias estava em silêncio...

mesmo não sendo sua fã,

reconheço seu valor.

Agora é o momento de homenagear:


mais um pouco:


e

quarta-feira, 24 de junho de 2009


Dizem que o medo de perder

tira a vontade de ganhar...

domingo, 21 de junho de 2009

Na "lata"...


André Ranschburg,

empresário e dono da marca Staroup:

" Se você não faz poeira,

come poeira."

sexta-feira, 19 de junho de 2009


#Uma a uma,

as luzes da cidade se extinguiram

e compreendi

que já tinha começado a recordar.#

(O Jogo do Anjo - Carlos Ruiz Záfon - pág. 402)

Quebrando regras


Que tal se por um dia,

uma semana,

ou talvez, um mês

deixássemos de lado a régua,

o compasso,

a bússola,

a balança

e os 10 mandamentos?

Ser ridícula,

inadequada,

incoerente

e não estar nem aí pro que dizem

e o que pensam a nosso respeito?

Recusar prazeres incompletos

e meias porções.

Até Santo Agostinho, que foi santo,

uma vez se rebelou

e disse uma frase mais ou menos assim:

'Deus, dai-me continência e castidade,

mas não agora'...

Nós, que não aspiramos à santidade

e estamos aqui de passagem,podemos (devemos?)

desejar várias bolas de sorvete,

bombons de muitos sabores,

vários beijos bem dados,

a água batendo sem pressa no corpo,

o coração saciado.

Um dia a gente cria juízo.

Um dia.

Não tem que ser agora.

Carências


' As famílias dos Estados Unidos afirmam

que têm passado menos tempo juntas.

O declínio no tempo dedicado à convivência familiar

coincide com a alta no uso da internet

e da popularidade nas redes sociais,

ainda que um novo estudo não tenha atribuído

à tecnologia a responsabilidade direta pela tendência.

O Centro Annenberg para o Futuro Digital,

da Universidade do Sul da Califórnia,

reporta esta semana que 28% dos norte-americanos

entrevistados por seus pesquisadores no ano passado

afirmaram que têm dedicado menos tempo

à convivência com seus familiares.

O total é quase o triplo dos 11% que admitiram

a mesma coisa em 2006.

Essas pessoas não reportam que estejam dedicando

menos tempo aos seus amigos,

no entanto.Michael Gilbert, pesquisador sênior no centro,

disse que as pessoas estão reportando menos tempo

de convivência com a família no exato momento

em que redes sociais como o Facebook, Twitter

e MySpace florescem e as pessoas lhes atribuem

importância cada vez maior.

Enquanto isso, mais pessoas se declaram preocupadas

com o tempo que crianças e adolescentes dedicam à internet.

A maioria das pessoas pensa na internet,

e em nosso futuro digital, como ilimitados,

e eu concordo com elas", diz Gilbert.

Mas, acrescentou, "a convivência física menor

entre as famílias não pode ser considerada boa.

Isso termina por resultar em famílias menos coesas

e menos capazes de se comunicar".

Na primeira metade da década, as pessoas diziam

dedicar cerca de 26 horas semanais a conviver com suas famílias.

Por volta de 2008, porém, esse tempo de convivência havia caído

em mais de 30%, para cerca de 18 horas.

O advento de novas tecnologias de certa maneira

sempre influenciou a maneira pela qual os membros de famílias interagem.

Os celulares facilitam aos pais saber do paradeiro dos filhos,

e oferece a estes uma privacidade indisponível na era da telefonia fixa.

A televisão encurtou os horários de jantar,

e a queda nos preços dos televisores

fez com que o número destes se multiplicasse,

e com isso pais e filhos não precisam mais se reunir

na sala de casa para assistirem juntos a programas.

Mas Gilbert afirma que a internet é tão envolvente

e requer tanta atenção a mais do que outras tecnologias

que é capaz de interferir nas fronteiras pessoais

de forma que outras tecnologias não poderiam.

"Não é como a televisão,

a que uma família pode assistir unida",

ele disse. A internet, aponta,

é basicamente um espaço de interação individual.

Provavelmente porque podem bancar mais aparelhos

com conexão de internet,

as famílias de maior renda reportaram

maior perda de tempo de convivência familiar

do que aquelas que ganham menos.

E mais mulheres do que homens disseram ter se sentido

ignoradas por um membro da família em troca da internet.'

500 anos de arte

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Mamãe eu quero


Depois de receber a conta de telefone hoje

só quero uma coisa:

colo da mamãe!!!!

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Livro infantil tb é cultura


'Havia uma vez um rei

num reino muito distante,

que vivia em seu palácio

com toda corte reinante.


Reinar pra ele era fácil,

ele gostava bastante.

Mas um dia, coisa estranha!

Como foi que aconteceu?

Com tristeza do seu povo

nosso rei adoeceu.

De uma doença esquisita,

toda gente, muita aflita,

de repente percebeu...


Pessoas grandes e fortes

o rei enxergava bem.

Mas se fossem pequeninas,

se falassem baixinho,

o rei não via ninguém.


(...)

E o pior é que a doença

num instante se espalhou.

Quem vivia junto ao rei

logo a doença pegou.

E os ministros e os soldados,

funcionários e agregados,

toda essa gente cegou.


(...)

E o povo foi desprezado,

pouco a pouco, lentamente.

Enquanto que o próprio rei

vivia muito contente;

pois o que os olhos não veem

nosso coração não sente.


(...)

Cada pessoa do povo

foi chegando à convicção

que eles mesmo é que tinham

que encontrar solução

para terminar a tragédia.

Pois quem monta na garupa

não pega nunca na rédea!


Eles então se juntaram,

discutiram,pelejaram,

e chegaram à conclusão

que, se a voz de um era fraca,

juntando as vozes de todos

mais parecia um trovão.


(...)

Mas de repente, que coisa!

Que ruído tão possante!

Uma voz tão alta assim

só pode ser um gigante!

-Vamos olhar na muralha.

-Ai, São Sinfrônio, me valha

nesse momento terrível!

Que coisa tão grande é esta

que parece uma floresta?

Mas que multidão incrível!

(...)

(retirado do livro O que os olhos não veem de Ruth Rocha)

Idéias vem e ...

Ontem assim que saí do banho
tive uma idéia ótima sobre um assunto
ótimo para colocar aqui.
Sabe o que aconteceu?
Saí do banho,
fui resolver outras coisas
e a tal idéia se perdeu...
Quem souber onde está avise-me, please.

terça-feira, 9 de junho de 2009

"O excesso de gente
nos impede de ver as pessoas..."
(Mário Quintana)

Twitteiros


"...Entrei na livraria

e aspirei aquele perfume

de papel e magia que,

inexplicavelmente

ninguém ainda tinha tido

a idéia de engarrafar."

(O Jogo do Anjo - Carlos Ruiz Zafón - página 250)

Verde que te quero ver


Já bastante populares em países escandinavos,

os "telhados verdes"

com uma longa história também na Alemanha,

aos poucos estão conquistando adeptos na América Latina,

a exemplo do México,

onde a implantação de jardins nos telhados das edificações

têm despertado interesse e aceitação.

A idéia é transformar os "telhados verdes"

em pequenos pulmões das grandes cidades

criando corredores que facilitem a circulação atmosférica,

melhore o microclima, reduza o consumo de energia,

provoque um decréscimo no uso

do ar condicionado em regiões quentes

e isolem o frio em regiões com invernos rigorosos,

já que sob um telhado coberto de vegetação,

as baixas temperaturas demoram mais

para chegar aos espaços internos,

um problema de pouca importância para o Brasil,

mas essencial para países europeus

e regiões montanhosas do México e Bolívia.

Outro aspecto interessante é que nas regiões de chuva intensa,

as áreas naturadas podem reter de 15% a 70%

do volume de águas pluviais,

prevenindo a ocorrência de enchentes.

Os telhados verdes reduzem também

os efeitos danosos dos raios ultravioletas,

os extremos de temperatura e os efeitos do vento,

vez que nesses telhados a temperatura não passa de 25º C

contra 60º C dos telhados convencionais.
(Extraído do Blog Obvious)

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Saboresssss


Hoje experimentei uma bebida diferente

lá no espaço AYUM.

Achei fantástico o leite com cardamomo...

sexta-feira, 5 de junho de 2009

O Rato e a Ratoeira



Numa planície da Ática, perto de Atenas,

morava um fazendeiro com sua mulher;

ele tinha vários tipos de cultivares, assim como:

oliva, grão de bico, lentilha, vinha, cevada e trigo.

Ele armazenava tudo num paiol dentro de casa,

quando notou que seus cereais e leguminosas,

estavam sendo devoradas pelo rato.

O velho fazendeiro foi a Atenas vender partes

de suas cultivares

e aproveitou para comprar uma ratoeira.

Quando chegou em casa,

adivinha quem estava espreitando?

Um rato,

olhando pelo buraco na parede,

vê o fazendeiro e sua esposa abrindo um pacote.

Pensou logo no tipo de comida que haveria ali.

Ao descobrir que era uma ratoeira

ficou aterrorizado.

Correu para a esplanada da fazenda

advertindo a todos:

- Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira na casa !!

A galinha disse:

- Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que isso seja

um grande problema para o senhor,

mas não me prejudica em nada, não me incomoda.

O rato foi até o porco e disse:

- Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira !

- Desculpe-me Sr. Rato, disse o porco,

mas não há nada que eu possa fazer,

a não ser orar.

Fique tranqüilo

que o Sr. será lembrado nas minhas orações.

O rato dirigiu-se à vaca.

E ela lhe disse:

- O que ? Uma ratoeira ?

Por acaso estou em perigo?

Acho que não !

Então o rato voltou para casa abatido,

para encarar a ratoeira.

Naquela noite ouviu-se um barulho,

como o da ratoeira pegando sua vítima.

A mulher do fazendeiro correu para ver o que havia pego.

No escuro, ela não viu que a ratoeira havia pego

a cauda de uma cobra venenosa.

E a cobra picou a mulher…

O fazendeiro chamou imediatamente o médico,

que avaliou a situação da esposa e disse:

sua mulher está com muita febre e corre perigo.

Todo mundo sabe que para alimentar alguém com febre,

nada melhor que uma canja de galinha.

O fazendeiro pegou seu cutelo e foi providenciar

o ingrediente principal.

Como a doença da mulher continuava,

os amigos e vizinhos vieram visitá-la.

Para alimentá-los, o fazendeiro matou o porco.

A mulher não melhorou e acabou morrendo.

Muita gente veio para o funeral.

O fazendeiro então sacrificou a vaca,

para alimentar todo aquele povo.

Moral:

“Na próxima vez que você ouvir dizer

que alguém está diante de um problema

e acreditar que o problema não lhe diz respeito,

lembre-se que quando há uma ratoeira na casa,

toda fazenda corre risco.

O problema de um é problema de todos.”

quinta-feira, 4 de junho de 2009


Todo es veneno

nada es veneno

la diferencia esta

en las dosis.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Nux Vomica

Tem medo de não ter recursos suficientes,
da ruína.
Ansiedade com irritabilidade.
Irrita-se com facilidade.
Não suporta ruídos,
mesmo os mais leves.
Não suporta odores e por vezes,
a própria música, de que normalmente gosta.
Tem uma má ligação com a dor.
O mais pequeno incomodo transforma-se
num padecimento insustentável.
Custa-lhe a enfrentar a luz forte.
Não tolera contrariedades.
O menor tormento torna-se insuportável.
Detesta ser contrariado.
Vexa-se e ofende-se por tudo e por nada.
Tem espirito de contradição.
É violento.
É um irascível
que se encoleriza facilmente.
Teimoso.
Não tem um sono descansado,
adormece e acorda perto das três horas da manhã.
Volta a adormecer ao crepúsculo.
Sono repleto de sonhos, pouco repousante.
Levanta-se cansado e ansioso.
Tem hábitos sedentários. Homens de negócios.
Quer parecer jovem,
vestindo-se de forma desportiva.
Maus efeitos de esforços mentais prolongados
e da falta de repouso.
Todos os padecimentos melhoram
pelo repouso.
Dores de cabeça com perturbações gástricas.
Nevralgia supra-orbitária, matinal,
intermitente, quotidiana.
Cefaleia por exposição ao Sol.
O estômago está distendido e é sensível à pressão.
Inchado, faz com que desaperte o cinto e as roupas.
Sensação de peso,
como se tivesse uma pedra no estômago,
que agrava uma hora depois das refeições.
Não pode reflectir correctamente durante as duas ou três horas
que se seguem às refeições.
Sonolência após jantar.
Vomitos espontâneos e provocados que produzem melhoras.
O próprio paciente sente que fica melhor se vomitar.
Friorento, agravando ao menor movimento.
Deve estar sempre coberto nos estados febris:
calafrio, calor ou suor.
Pele quente,
muito especialmente no rosto.
Gosta de estar coberto, agasalhado.
Tem arrepios ao mais pequeno movimento.

AGRAVAÇÃO:
quando desperta; de manhã; pelo tempo frio e seco;
depois das refeições; quando come ou bebe muito;
quando ingere especiarias, estimulantes, narcóticos;
após trabalho mental; pelo contacto;
ruído; cólera e emoções fortes.

MELHORA:
à tarde; depois de um curto sono;
no tempo úmido, chuvoso;
pela pressão; pelo repouso.

(Para um aprofundamento do estudo do medicamento,
vee no site: www.homeoesp.org - Livros online
» Matéria Médica dos Principais Medicamentos Homeopáticos)

Friooooo


A sensação térmica desses dias
tem sido abaixo de 0º

terça-feira, 2 de junho de 2009

Einstein


Sonhos


Só para registrar um adendo sobre meu último

sonho que foi cheio de mensagens,
estremamente rico em informações

com cenas espetaculares e

personagens intrigantes:

¨American beauty é um tipo de rosa

muito cultivada nos Estados Unidos,

com uma peculiaridade:

ela não possui espinhos nem cheiro,

uma metáfora sobre o vazio do americano comum.¨

"Não há nada no caminho da vida

que já não saibamos

antes de começar.

Não aprendemos nada

de importante na vida,

apenas recordamos."

(O Jogo do Anjo - Carlos Ruiz Zafón -Pág. 165)