domingo, 30 de dezembro de 2007

Fênix

Apesar da fênix ser um mito nós o vivemos muitas e muitas vezes em nosso caminho e essa vivência se traduz em um ciclo que chamamos de ano.
Nossa vivência em fênix não tem 500 ou 97.200 anos, mas 12 meses e existem “ritos de passagem” que simbolizam a autocombustão:
são conhecidos como festas de final de ano.
Quando entramos nos mês de dezembro nos aproximamos dessa morte simbólica que tem seu renascimento logo após a festa de ano novo.
Essas festas acabam nos impondo um momento de reflexão.
É justamente nesse período que reavaliamos tudo aquilo que fizemos e conquistamos, que pesamos o que ambicionávamos e o que concretizamos. Realizar essa avaliação causa um misto de sentimentos:
alegrias e satisfações pelas conquistas
e também tristeza ou decepção
por aquilo que almejamos mas que não foi possível materializarmos.
No primeiro momento uma melancolia paira sobre nós,
uma melancolia que também tem sua função,
que é necessária e faz parte da jornada.
Ela nos deixa reflexivos, interiorizados, ou seja,
ela nos deixa em um estado propício para refletir sobre nossa caminhada,
nos colocando em contato direto com todo o caminho que já percorremos.
Entretanto esse sentimento apresenta um antídoto:
a festa de virada de ano. É no momento da contagem regressiva,
quando todos estão focados num único pensamento,
que se manifesta o mito da fênix.
A explosão dos fogos nos traz a sua característica de renovação;
é o próprio renascer das cinzas.
E então, ao mesmo tempo em que nos condenamos com severidade,
sentimos que essa condenação fica para trás,
pois já começamos o caminhar em um novo ciclo,
vislumbramos com os olhos brilhando objetos e desejos,
enchemos a mente de planos e o coração de esperança.
Nesse momento vivemos o mito da fênix intensamente:
o que ficou no ciclo passado entra em combustão,
nosso cansaço se consome nesse fogo
e tudo aquilo que queremos deixar para trás se transforma em cinzas e,
então, nos enchemos de força, de esperança, de planos e de projetos.
Nosso coração se renova e produzimos o momento mais belo desse ciclo ressurgindo completamente renovados para trilhar nosso caminho.
Que cada um de nós possa se valer dessa oportunidade oferecida
usando o aprendizado das experiências vividas,
se preparando para a nova jornada
com o entusiasmo de um jovem cheio de sonhos
somados à sabedoria de um ancião.

Um movimento chamado inércia


Para quem alcança o céu sem sair do chão.

Para quem se movimenta sentado.

Para quem gosta de escrever.

Para quem gosta de dividir.

Para quem gosta.

Para quem?

Pára.

Ser bonito é...


Bonitas são as coisas vindas do interior,

as palavras simples, sinceras e significativas;

o sorriso que vem de dentro,

o brilho dos olhos...

Bonito é o dia de sol depois da noite chuvosa

Bonito é procurar estrelas no céu

e dar de presente ao amigo,

amiga, namorado...

Bonito é chorar quando se sentir vontade

e deixar que as lágrimas rolem

sem vergonha ou medo de crítica.

Bonito é ser realista sem ser cruel,

acreditar na beleza de todas as coisas.

Bonito é a gente continuar sendo gente em quaisquer situações.

Bonito é você ser você.

VERÃO


Ah o verão...

Dizem que é a estação da perdição.

É porque é no verão

que você faz tudo aquilo que vai contar para os seus netos,

bisnetos e tataranetos um dia.

Dormir de cueca, dormir de calcinha.

É só no verão!

Viajar para a montanha,

para a cachoeira,

para o balneário...

é só no verão!

É no verão que o amor floresce.

O amor a preguiça.

Amor ao Sol.

Ou até mesmo o amor a uma sirigaita.

Ou a uma dúzia de sirigaitas.

Por que não?Seja otimista rapaz!

É verão!

Vai contar o que para o neto?

Que ficou jogando o dominó?

Não!!!

Vai contar que pulou da pedra,

comeu churrasco,

deu cambalhotas...

Essas coisas...

que a gente só faz no verão!

Ahh verão...

Carrossel

A gente sempre se ilude e acaba nem percebendo que aquilo que a gente realmente precisa é aquilo que a gente já tem.
O MUNDO DÁ VOLTAS, e como ele dá...
Interessantíssimo perceber que o processo é ciclico e se completa nele mesmo,
e assim uns ciclos são fechados e outros são iniciados, semelhantes ou não, dependem das pessoas, ideais, objetivos e filosofias envolvidos.
A vida sem rotina, sem regras, sem normas, seria mais sensorial, menos racional e talvez perderia meu controle, o controle de tudo o que faço, penso e escolho viver...
A vida não é um desafio a ser superado, ela é o palco da minhas ações, onde me experimento, onde me conheço, onde exercito aquilo que acredito, que aprendi, que sinto...
um espetáculo das interações humanas, suas simbioses, antíteses e conflitos.
Sou uma privilegiada sem sombra de dúvidas;
onde milhões de coisas acontecem de forma síncrona e se traduzem em uma avalanche de sensações, um resgate do EU e me acrescentam de maneira intensa, visceral, significativa.
Entendi que não preciso fazer muito esforço,
os acontecimentos fazem parte de um ciclo,
que dura o suficiente para que outro seja iniciado,
depende de mim iniciá-lo, fechá-lo ou mantê-lo.
Fiz as pazes com o tempo;adquiri paciência e sapiência.
Ainda me falta muiiiito pra chegar ao minimo que busco em minha vida.
Conhecimento nunca é demais;
hoje, mantenho presente apenas quem me acrescenta.
Não esqueço;mas convivo muito bem sem,
afinal minha maneira de criar e recriar as circunstâncias em minha vida me permitem conviver com a ausência.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Anúncio

Abaixo transcrevo uma poesia muito fofa
extraída de um anúncio das Havaianas
publicada na Revista de Domingo:
Que pedir a um Ano Novo
Fama, grana, remissão?
Pra quê, há coisas mais bacanas
Quero sossego e Havaianas.
Como eu seria simples
Espicharia o casco ao sol
Divagaria bobagens tamanhas
Pé no chão, só as Havaianas.
Não teria mais porto
Atracaria em terras distantes
Potiguares, gaúchas, baianas
como viajariam minhas Havaianas.
Aproveitaria cada minuto
Boiaria, mergulharia
até me agarraria a barbatanas
Pra depois adormecer de Havaianas.
Até me dissolver na espuma
curtir o cabelo na água e sal
Pente algum desataria as tramas
se eu vivesse só de Havaianas.
Mandaria o chefe às favas
Viveria de brisa fresca
sobreviveria à base de bananas
Meu reino por um pé de Havaianas.
Fingiria que eu era outro
Um poeta que endoideceu
Escreveria rimas parnasianas
Na areia em volta das Havaianas.
E de noite, não faltasse um carinho
Um colo com tudo de bom
Namoraria Luizas, Claudias , Anas
Um pé que também usasse Havaianas.
Se não encontrasse, paciência
Eu me entregaria a prazeres fugazes
Daria as festas mais insanas
Todos a rigor, só de Havaianas.
Dê-me sol, dê-me areia
Caipirinha, ostra e caju
Lua detrás das montanhas
só não me faltem as Havaianas.
Eis o que eu pediria
Ao ano se ele me ouvisse
Duas mil e oito coisas bacanas
e um só par de Havaianas.
Se o mundo acabar, quem garante?
Seríamos homens realizados
Uma legião de anjos à paisana
Só de asas e Havaianas.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Nunca se explique.
Seus amigos não precisam,
e seus inimigos não vão acreditar.
Nietzche
Sou como você me vê
Posso ser leve como uma brisa
ou forte como uma ventania,
depende de quando,
e como você me vê passar.
Liberdade é pouco.
O que eu desejo ainda não tem nome.
Clarice Lispector

sábado, 15 de dezembro de 2007

"Os homens nascem ignorantes, não estúpidos.
Eles se tornam estúpidos pela educação."
Bertrand Russell
Guardar uma coisa não é escondê-la ou trancá-la.
Em cofre não se guarda coisa alguma.
Em cofre perde-se a coisa à vista.
Guardar uma coisa é olhá-la, fitá-la, mirá-la
por admirá-la, isto é, iluminá-la ou ser por ela iluminado.
Guardar uma coisa é vigiá-la, isto é, fazer vigília por ela,
isto é, velar por ela, isto é, estar acordado por ela, isto é,
estar por ela ou ser por ela.
Por isso, melhor se guarda o vôo de um pássaro
Do que de um pássaro sem vôos.
Por isso se escreve,
por isso se diz,
por isso se publica,
por isso se declara e declama um poema:
Para guardá-lo:
Para que ele, por sua vez, guarde o que guarda:
Guarde o que quer que guarda um poema:
Por isso o lance do poema:
Por guardar-se o que se quer guardar.
Antonio Cícero
"Eu sei de quase tudo um pouco
e quase tudo mal
Eu tenho pressa
E tanta coisa me interessa
Mas nada tanto assim"
Leoni

Ano que chega


Deixar o que se é pra deixar

Levar o que se é pra levar

Dispensar o inútil e guardar o necessário

Afinal de contas é preciso que não falte

mas é fundamental ter espaço para o que vem

Quero comigo uma bagagem

que possa carregar sem sofrimento.

Quero agilidade para me movimentar.

Quero leveza.
Se orgulhar do que se é
e ter noção do próprio ridículo
são qualidades essenciais,
para seguir em frente.

Preciso

por Danilo Lemos

Preciso comprar algum talco pra combater o odor desagradável do meu sapato
Preciso ir ao dermatologista, perguntar sobre meu shampoo anti-caspa
Preciso ir ao dentista, retirar 4 dentes cisos que cismam em nascer inclinados pro lado errado
Preciso ir ao ortopedista, conversar sobre a dor na coluna proveniente do fato de eu passar o dia sentado numa cadeira de merda
Preciso urgentemente de uma academia de ginástica, pois o verão está chegando ao Rio de Janeiro e esses 10 quilos a mais que eu ganhei desde que eu me separei me desagradam...
E, no entanto, vou dormir agora, pois amanhã eu tenho mais um dia de trabalho, que só aceitei, para poder pagar a cachaça que me faz esquecer do que eu preciso.

Passagem das Horas

...
Eu quero ser sempre aquilo com quem simpatizo,
Eu torno-me sempre, mais tarde ou mais cedo,
Aquilo com quem simpatizo, seja uma pedra ou uma ânsia,
Seja uma flor ou uma idéia abstrata,
Seja uma multidão ou um modo de compreender Deus.
E eu simpatizo com tudo, vivo de tudo em tudo.
São-me simpáticos os homens superiores porque são superiores,
E são-me simpáticos os homens inferiores porque são superiores também,
Porque ser inferior é diferente de ser superior,
E por isso é uma superioridade a certos momentos de visão.
Simpatizo com alguns homens pelas suas qualidades de caráter,
E simpatizo com outros pela sua falta dessas qualidades,
E com outros ainda simpatizo por simpatizar com eles,
E há momentos absolutamente orgânicos em que esses são todos os homens.
Sim, como sou rei absoluto na minha simpatia,
Basta que ela exista para que tenha razão de ser...
...Sentir tudo de todas as maneiras,
Ter todas as opiniões,
Ser sincero contradizendo-se a cada minuto,
Desagradar a si próprio pela plena liberalidade de espírito,
E amar as coisas como Deus...
...Eu, tudo isto, e além disto o resto do mundo…
Tanta coisa, as portas que se abrem, e a razão por que elas se abrem,
E as coisas que já fizeram as mãos que abrem as portas…
...Viro todos os dias todas as esquinas de todas as ruas,
E sempre que estou pensando numa coisa, estou pensando noutra.
Não me subordino senão por atavisnio,
E há sempre razões para emigrar para quem não está de cama...
...Fui educado pela Imaginação,
Viajei pela mão dela sempre,
Amei, odiei, falei, pensei sempre por isso,
E todos os dias têm essa janela por diante,
E todas as horas parecem minhas dessa maneira...
(Alvaro de Campos - Trechos)

Ali



ali

só ali se

se alice ali

se visse

quanto alice viu

e não disse

se ali

ali se

dissesse quanta palavra

veio e não desce

ali bem ali

dentro da alice

só alice

com alice

ali se parece

Amor Bastante

quando eu vi você
tive uma idéia brilhante
foi como se eu olhasse
de dentro de um diamante
e meu olho ganhasse
mil faces num só instante
basta um instante
e você tem amor bastante
um bom poema leva anos cinco jogando bola,
mais cinco estudando sânscrito,
seis carregando pedra,
nove namorando a vizinha,
sete levando porrada,
quatro andando sozinho,
três mudando de cidade,
dez trocando de assunto,
uma eternidade,
eu e você, caminhando junto

Incenso Fosse Música

isso de querer
ser exatamente aquilo
que a gente é
ainda vai nos levar além
(Paulo Leminsk in "Distraído Venceremos" Ed. Brasiliense, 1987)

Eu


eu

quando olho nos olhos

sei quando uma pessoa

está por dentro

ou está por fora

quem está por fora

não segura

um olhar que demora

de dentro de meu centro

este poema me olha

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Sobre defeitos

Defeitos?
Sim vários, mas sempre que os descubro procuro corrigi-los.
Passei da idade de contestar e ignorar
para a de me conhecer e melhorar.

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

O sorriso de Monalisa

The lake house

Noiva em fuga

Runaway Bride:

O amor não tira férias...

The Holiday:

Pretty Woman

A gente não se liberta de um hábito atirando-o pela janela:
é preciso fazê-lo descer a escada, degrau por degrau.
É preciso sofrer depois de ter sofrido, e amar, e mais amar, depois de ter amado.
A verdadeira eloquência
consiste em dizer tudo o que é preciso
e em só dizer o que é preciso.

O Alquimista

" Na verdade, não são as coisas que mostram algo;
são as pessoas que, olhando para as coisas,
descobrem a maneira de penetrar na Alma do Mundo.
"Despir-se da couraça que envolve e endurece o olhar,
fluindo com os sons e as energias do Universo.
Discussões podem e devem ser canais de auto-conhecimento e amadurecimento da própria identidade.
Uma relação perfeita é aquela em que se pode aprender, crescer e se tornar conhecedor de si mesmo.
Uma troca... seja nos beijos, seja nos confrontos.
“As pessoas são sempre um bom espelho.”
(Manual do Guerreiro da Luz)
Namorado é a mais difícil das conquistas.
Difícil porque namorado de verdade é muito raro.
Necessita de adivinhação, de pele, saliva, lágrima, nuvem, quindim, brisa ou filosofia.
Paquera, gabira, flerte, caso, transa, envolvimento, até paixão é fácil.
Mas namorado mesmo é muito difícil.
Namorado não precisa ser o mais bonito,
mas ser aquele a quem se quer proteger
e quando se chega ao lado dele a gente treme,
sua frio, e quase desmaia pedindo proteção.
(Artur da Távola)
"O principal objetivo da terapia psicológica, não é transportar o paciente para um impossível estado de felicidade,
mas sim ajudá-lo a adquirir firmeza e paciência diante do sofrimento.
A vida acontece num equilíbrio entre a alegria e a dor."